quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

"Então é Natal...

O que a gente fez?
O ano termina, e começa outra vez
E Então é Natal, a festa Cristã
Do velho e do novo, o amor como um todo
Então bom Natal, e um ano novo também
Que seja feliz quem, souber o que é o bem"


Sempre achei uma tosquice sem fim essas musiquinhas natalinas, não só por serem chatas, mas por serem hipócritas. Olha essa aí em cima, por exemplo: amor total só tem que existir no Natal? Você só deseja felicidades a pessoas boazinhas se só pessoas boazinhas fossem felizes, a maior parte do mundo seria infeliz, porque uma coisa é ser uma pessoa boa, outra é ser boazinha? E não é óbvio que quando um ano termina vai começar outro? Duuhh! hahaha. E quanto à festa ser cristã: cadê a religião no mundo? Grande parte das pessoas se diz católica (devido à influência de nossos colonizadores) só porque a família é e porque foi a umas 20 missas durante a vida toda. Como diz meu professor de Sociologia "católico não praticante não é católico, porque religião é algo para ser praticado". E isso se aplica a todas as outras religiões. Praticar a religião não é só ir à Igreja, é praticar aquilo que a sua doutrina ensina. E, com certeza, o mundo não se lembra mais o que é isto. But wathever...

Eu adoooro o Natal! Todo mundo sabe que o Natal é uma data acima de tudo comercial e que as pessoas a usam como desculpa para fazer alguma boa ação, tipo fazer doações de vários tipos, ajudar crianças carentes, etc e para tentar garantir uma vaga no Céu um dia. Mas, ei, quem não gosta disso? O principal motivo para eu gostar do Natal é a comida. Essa é a única época do ano que eu como certos pratos! Quando dezembro vem se aproximando, já fico pensando na ceia, falo mermo - sou gorda de espírito! hahaha

Além disso, é nessa época que as pessoas fingem ser mais legais umas com as outras, fazem amigo oculto (ou secreto), revêem os familiares e trocam presentes. De certa forma, o Natal aproxima as pessoas com a sua característica comercial-capitalista, e não acho isso tão ruim assim. Só a falsidade de ter que ficar dando "Feliz Natal!" pra cá, "Feliz Natal!" pra lá para pessoas que você quer que desapareçam que é chato, e receber "Feliz Natal!" falso das mesmas também. Aliás, tem gente que dá "Feliz Natal!" até pra quem não conhece pelo orkut. Os vendedores e caixas das lojas que acho engraçado. Eles te dizem "Feliz Natal e Ano Novo!" depois que você paga as compras e está saindo do estabelecimento, mas na verdade querem dizer "Feliz Natal! Agora que você me deu dinheiro pode ir embora! E que ano que vem você tenha ainda mais dinheiro pra poder largar aqui e aumentar o meu salário!". É ou não é? haha


E o Ano Novo? Eu gosto do Ano Novo. É quando temos esperança de que as coisas irão mudar, de que a vida irá melhorar e de que o próximo ano será mais legal, proveitoso e feliz. Aí chega o ano seguinte e não muda nada ou quase nada, mas isso aí já é outra história. O que importa é que o Ano Novo também aproxima as pessoas. Todos ficam tão esperançosos e felizes por aquele ano maldito acabar que ficam mais legais uns com outros e mais descontraídos! Fora que ainda tem a ceia de Revéillon né (apesar de que ainda prefiro a de Natal). Normalmente as pessoas gostam do Revéillon por causa da bagunça que fazem, da bebedeira, das pegações que eventualmente ocorrem nas festas (o que não deixa de ser uma aproximação) e dos fogos. Já vi tantos fogos ao longo de todos os meus anos de existência que não vejo mais tanta graça em ficar 30 minutos parada olhando pro céu colorido e cheio de fumaça. Geralmente os fogos são iguais, ou quase iguais, todo ano. Se fossem diferentes, formassem imagens, fizessem algo novo, aí teria mais graça. Mas ainda assim gosto muito do Ano Novo!

Agora fazendo o balanço deste ano, não sei se foi mais positivo ou mais negativo. Sei lá, aconteceram mais coisas ruins que boas, isso com toda certeza. Mas as coisas boas, como a criação do meu blog, as amizades virtuais (e uma não mais virtual) que fiz através do blog, eu ter emagrecido um pouco (eeee!), eu ter entrado finalmente pra faculdade, ter tido uma experiência de ganhar meu próprio dinheiro, foram ótimas! Já as coisas ruins foram vários setores da minha vida continuarem a mesma bosta e/ou terem piorado, meu azar continuar me seguindo e eu ter operado apendicite. Diria que 2008 foi um ano maldito, em todos os sentidos. Acho que foi o mais estressante até agora. Espero sinceramente que 2009 seja um ano infinitamente melhor que 2008, porque estou deixando esse ano aliviada, essa é a palavra. É como se eu estivesse tirando um peso das minhas costas. Ano que vem farei muita coisa diferente. Não digo que farei tudo diferente, porque obviamente não conseguirei fazê-lo, assim como todos que prometem isso, e nem quero. Muita coisa que faço acho que é certo continuar fazendo.

Então só me resta desejar um dia feliz de Natal pra todos e um ótimo Ano Novo, assim como um 2009 bem melhor!

Beijos!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Uma Vez Diva, Sempre Diva!


Show da Madonna, dia 18 de dezembro de 2008, em São Paulo: EU FUI! Foi o melhor show que já fui até hoje, extremamente foda! Tava tudo per-fei-to! A entrada dela no palco foi digna de uma rainha em seu trono! O palco estava maravilhoso, amei os dois M's enormes e brilhantes nas leterais! Fora as partes removíveis do palco e as telas móveis com o Justin Timberlake e o Pharrel aparecendo em algumas músicas, cantando e dançando como nos clips em que eles participam! Além da Britney Spears, do Kanye West e do Timbaland nos telões também. Os 4 blocos de músicas estavam ótimos, só senti mais falta de Frozen e Get Together. A apresentação mais legal em questão de efeitos e tal foi a de Devil Woudn't Recognize You, mas a melhor em questão de animação foi a de Like A Prayer. Foi nessa hora que a paulistada, que estava super parada e desanimada, começou a se mexer, pular e cantar! Spanish Lesson foi muito legal também, nossa! Quer dizer, todas as apresentações foram demaaaais, do início ao fim! No final do show, apareceu escrito Game Over nos telões; apesar de não ter nada assim de tão demais, achei foda!


Ficamos eu e mais 3 acompanhantes (entre os quais estava a Cacá, uma excelente amiga e companhia de shows e saídas a partir de agora) desde 17:30 na fila até meia noite pra ir embora lá no Estádio do Morumbi. "Jantamos" Fandangos e Ruffles e não bebemos nada para não ter que ir àquele banheiro longe, fétido e totalmente nojento. Apesar disto e do super atraso da Madonna, valeu mais do que a pena! Fiquei na arquibancada vermelha, meio na lateral, e achei o show perfeito; se eu tivesse ficado na pista vip, bem de cara com a Madonna, nossa, aí seria emoção demais, mais do que já senti do lugar onde estava! Eu estava ansiosíssima para o grande show e ele superou todas as minhas expectativas! Se pudesse, eu ia iria nos outros 2 shows que terão hoje e amanhã! Ainda consegui comprar uma camiseta do show na saída por R$10,00!! E eu nem precisei barganhar, o moço já falou que fazia pra mim por 10 em vez de 15! Nessas horas ser mulher é uma vantagem né, meninas? hahaha



Eu e Cacá com os ingressos na mão antes do show. Graças à nossa ilustre presença, não choveu!

Nunca fui num show tão maravilhoso em toda a minha vida, não só por eu adorar a Madonna desde muita pequena mas também porque ela é A Madonna, e não tem pra mais ninguém! Tudo o que ela faz é foda! Ela consegue ser uma bad girl polêmica sem se drogar, se embebedar e fazer cenas deprimentes pra aparecer na mídia como a Amy Winehouse e outras. Além disso, ela está sempre no topo das paradas musicais com 50 anos e tem energia de 25! É mole ou quer mais?

Depois de tudo, só me resta dizer: MADONNA É DIVA! E nunca perderá seu lugar de rainha da música pra nenhuma outra cantora! Sou mais fã dela agora que antes! Depois de um show daqueles (e que show!) era impossível isso não acontecer.


terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Diferenças


Eu sou diferente. Você é diferente. Todos são diferentes. Alguns são tão diferentes que se tornam alvos constantes de preconceito e/ou chacota; isso porque o ser humano ainda não aprendeu a respeitar as diferenças alheias. Ele só se esquece de olhar para si mesmo e de repente perceber que é mais diferente ainda. Quem se considera normal? O que seria esse ser normal? Se ser normal depende do ponto de vista de cada um, não é possível julgar o outro sobre sua normalidade. Claro, sempre pensamos “mas esse aí não é normal pra ninguém, em lugar nenhum!”, entretanto, por incrível que pareça, é sim. Não é cada louco com a sua mania? Então... Sempre há alguém igual a você, por mais que você seja considerado estranho pela maioria. Eu, por exemplo, acho horrendo quem tatua o rosto, mas existem muitas pessoas pelo mundo que tem o rosto tatuado. Eu acho estranho, mas eles e provavelmente as namoradas/esposas deles não o acham. E por terem a coragem (sim, porque é preciso muita coragem para fazer desenhos permanentes no rosto) de tatuar o rosto, sofrem muito preconceito e provocam medo em algumas pessoas que os olham. Até quem parece igual, tem suas diferenças.


Quando somos pequenos não ligamos para as diferenças dos nossos amiguinhos, brincamos com todos juntos sem perceber diferença, pois ainda não temos o discernimento para diferenciar com olhares preconceituosos que ganhamos à medida que vamos crescendo e perdendo a nossa inocência. Deveríamos continuar assim. Sofreríamos menos e o mundo seria melhor. Mas como mudamos, temos que aprender a conviver pacificamente com as diferenças, respeitando todas sem discriminar, o que é bem complicado, porque quando não concordamos com algo logo discriminamos, mesmo que só interiormente. Mas mesmo não concordando, é preciso respeitar a opção de cada um ser do jeito que é. Até quem parece igual, tem suas diferenças.

O que aconteceria se fôssemos todos iguais? Provavelmente o mundo pararia. Qual seria a graça se todos fossem só loiros ou morenos? E se todos tivessem a mesma cor de olho? O que seria da engenharia se todos quisessem ser jornalistas? E da economia se todos quisessem cursar Belas Artes? Pois é. Por isso as diferenças existem – para equilibrar o mundo. Muitas pessoas não se dão conta disto, por isso tanta discórdia e preconceito.

Eu gosto de ser diferente. Muita gente me acha estranha, mas o que eu tenho com isso? Não posso agradar todo mundo; aliás, nem quero. Só quero agradar quem me agrada, por quem tenho estima. De pessoas chatinhas que me olham estranho quero só distância. Quem sabe elas que não são as estranhas?

Agora eu me - e lhes - pergunto: se até os animais respeitam as diferenças entre si, porque nós, seres humanos, animais evoluídos, não podemos respeitar as nossas diferenças também?

sábado, 29 de novembro de 2008

Eu, Eu Mesma e Ele


- Você ainda gosta dele né?
- Gosto, e muito...
- Não sei como você ainda pode gostar dele depois de tudo e sabendo que ele não te merece.
- Não sei, boa pergunta. Apenas gosto. Você acha que eu não preferia gostar de outro?
- Não sei...
- Talvez eu também não saiba. Por mais que eu queira gostar de outro, este outro não aparece. Parece que tem algo me impedindo de parar de gostar dele, sei lá. Todos os que passaram pela minha vida parecendo que iriam me fazer esquecê-lo, foram alarmes falsos. Aí já viu, né... Meus pensamentos continuavam voltados para ele.
- É, pode ser. Mas será que você quer mesmo não gostar mais dele?
- Por um lado, eu quero. Mas por outro, acho que não.
- Aí fica difícil!
- Eu sei, eu sei... O que você quer que eu faça?
- Que esqueça ele de vez.
- Se fosse fácil, já teria esquecido.
- Eu sei que não é fácil, mas é necessário. Você só sofre gostando dele.
- Eu sofro, mas gosto de pensar nele, me faz bem. Depois me faz mal, mas me faz bem por alguns instantes.
- E de que valem estes instantes?
- Não sei, mas me deixam feliz enquanto não acabam.
- Tome vergonha na cara e pare de pensar dele, cacete!
- E por que você não pára?
- Porque eu também não consigo.
- Ah, muito bonito né! Quer que eu esqueça, mas você também não o esquece!
- Que que eu posso fazer? Não consigo, também já tentei, mas...
- Sem êxito, já sei.
- Exato.
- Temos que nos esquecer dele juntas então, talvez seja mais fácil.
- É, quem sabe.
- Mas, por onde começamos?
- Não faço idéia. Como se esquece alguém? Pra mim, essa história de que o tempo faz a gente esquecer é balela.
- Até porque se fosse verdade, eu já teria esquecido ele.
- Pois é. Que merda isso né? Por que eu tinha que gostar logo dele? Não podia gostar de um cara mais fácil?
- Ele nem é dos meus tipos físicos favoritos... Quer dizer, ele está bem gostosinho, mas de resto não é, porque costumo gostar mais de loiros e ele é moreno, por exemplo. Além disso, eu sempre atraí as coisas mais difíceis.
- E desde quando o amor respeita os nossos gostos?
- Isso é verdade, não respeita mesmo; nem gosto, nem nada. Mas mesmo assim, acho ele lindo, do jeitinho que ele é, sem mudar nada.
- É, ele é lindo mesmo. Ai, ai... Mas, ei, vamos parar de pensar nele!
- É inevitável, só de querer não pensar, eu já me lembro automaticamente dele.
- É, eu também.
- Por mais safado que ela seja, ainda gosto dele; e por mais raiva que eu sinta dele, passa logo quando me lembro daquele sorriso perfeito e daquela voz.
- Você gosta tanto assim dele?
- O pior é que gosto. Aliás, você sabe que ele foi o cara de que mais gostei até hoje. Talvez por isso, também, seja tão difícil esquecê-lo.
- Com certeza. Esse fato complica tudo ainda mais.
- Então, o que eu faço?
- Não sei. Se você gosta mesmo dele, deveria correr atrás da sua felicidade, mas pode dar com a cara na porta mais uma vez. Você tem que estar preparada.
- Eu sei, eu sei... Por que as coisas não poderiam ser mais fáceis? Essa coisa de que o que é fácil não tem graça não cola pra mim. Eu gosto de coisas fáceis. Tudo pra mim é muito difícil! Poderiam ser um pouco mais fáceis, pelo menos. Eu gosto de desafios, mas tem hora que essa dificuldade toda cansa.
- Cansa mesmo. Também estou cansada.
- Logo eu que gosto de facilitar as coisas me defronto com as coisas mais difíceis. Isso é uma ironia, não?
- Nem tanto. Não dizem que os opostos se atraem?
- No meu caso, me atraio mais por coisas e pessoas que têm algo parecido comigo em alguma coisa, que tenham alguma afinidade. E, bem, no meu caso e dele, temos aquela química, como você bem sabe.
- Ô se sei...
- E eu sei que sou a mulher ideal pra ele, sabe; inclusive meu tipo físico o agrada bastante, ele não tem do que reclamar...
- Sim! Fora que você não é burra, retardada e infantil como a maioria das garotinhas mais novas que ele pega por aí né, não passa nem perto!
- Pois é! Será que ele não enxerga isso?!
- Se não enxerga é porque é cego, burro e bobo, só pode! Ou então só pensa com a cabeça de baixo e deixa a de cima no pause pra usar só de vez em quando...
- É, pode ser. Na verdade, todo homem é assim né... 99,95% é, e acho que ele está incluído nessa porcentagem, infelizmente.
- Mas fazer o que, não é? Ruim com eles, pior sem eles... E coração de mulher é igual a circo: sempre cabe mais um palhaço!
- E ele é o palhaço mais lindo que já entrou no meu coração, e já tem um lugar cativo nele.
- O que você acha que ainda pode acontecer?
- Posso ser boba pensando isso, mas no fundo ainda tenho esperança dele abrir os olhos um dia e perceber que eu sou a melhor opção pra ele e pra vida dele.
- Seria ótimo, pra você e pra ele!
- Pois é, pros dois. Agora basta só ele perceber, porque eu já percebi faz tempo.



“Mas o que é que tem
Se do lado esquerdo do peito
No fundo, ela ainda me quer bem.”
(Chico Buarque)



Ps: Gente, finalmente consegui trocar o layout do meu blog, como vocês já devem ter reparado! Era só fazer uma coisa que eu estava pensando em fazer, mas não sabia se ia dar certo. Bem, deu certo e aqui está o resultado! Eu adorei do novo visual do meu blog! E vocês, o que acharam? :)

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Problemas técnicos

Gente, estou escrevendo este post para explicar que o blog está todo podre, sem nada desse jeito, porque eu ia trocar o layout ontem, mas o Blogger safado cara de pau resolveu dar erro quando eu estava tentando trocar, então perdi tudo que estava nele! Aí só substituí algumas coisas mais fáceis pra não ficar sem nada. Em breve, espero, o blog estará todo repaginado! :D
Beijos a todos!

sábado, 22 de novembro de 2008

Desabafo.

Sabe quando parece que tudo está dando errado na sua vida, você se sente sozinha e não consegue resolver nada? Pois é, estou bem assim. Tô meio perdida, de saco cheio de tudo e de (quase) todos. Sempre tem alguma coisa interrompendo, atrapalhando para que algo não dê certo. Quando parece que finalmente que vai dar certo, pronto: acontece alguma coisa errada, sempre.



Vocês ainda não sabem, mas sexta-feira passada passei mal na faculdade, fui pro hospital, fiz uns exames e descobriram uma apendicite; tive que operar no sábado de manhã. Dei sorte que estava bem no início e não foi preciso uma cirurgia de emergência que me deixaria com uma cicatriz vertical enorme na barriga. Mas a sorte é algo bem relativo. Eu dei “sorte” da apendicite estar no início, mas em compensação dei azar de estar com ela e ter que operar. Eu preferia que esta sorte tivesse sido a de não ter ficado doente e de não ter que ter operado nada!

Por mais simples que seja essa cirurgia, o pós-operatório nunca é algo divertido. Por menos dor que você sinta, ainda sim ela está ali, cricri, te perturbando, te lembrando que esta lá e que você fez uma cirurgia e não pode abusar, de nada. Pra mim, a pior parte é não poder comer decentemente. Não posso comer nada que chegue perto de ter alguma mínima gordura, não posso comer alimentos com pedaços muitos grandes, muito temperados, e por aí vai. Ou seja, não posso comer quase nada de bom. Nunca consegui fazer dieta justamente porque não consigo ficar longe das comidas deliciosas gordurosas e agora não posso comer senão vai me fazer realmente mal. Também não posso abaixar nem fazer esforço de espécie alguma pra não forçar os pontos - e também porque dói. Isso é um saco, eu odeio depender dos outros pra qualquer coisa! Além disso, era pra eu ter feito 2 provas na quarta-feira e, logo em seguida, já estaria de férias, finalmente! Agora, terei que fazer essas duas provas e uma outra que não terminei porque estava passando mal na sexta. Ô perda de tempo, vou lhes contar...

É muito azar pra uma pessoa só! Queria distribuir um pouco esse azar pra mais gente, porque eu já estou cheia dele! Toda hora é uma merda que acontece. Por que eu não posso simplesmente viver em paz e resolver os meus problemas sem ficar doente?! Por que toda hora eu tenho que ficar doente e ser cheia de problemas de saúde?! Enquanto tem um monte de gente que quase não fica doente, ou nunca fica, eu tenho doença pra dar e vender. Toda hora é uma coisinha aqui, uma alergia ali, uma crise de gastrite/sinusite acolá, uma doença por lá... Nunca posso ficar em paz! Às vezes acho que, por algum motivo, não tenho direito a viver em paz, de forma normal. Nada na minha vida é normal! A normalidade é uma coisa boa quando o oposto nos faz mal. Estou precisando de muita um pouco de normalidade na minha vida. Eu só quero poder comer e beber o que eu quiser sem passar mal, poder planejar e concretizar meus planos sem ter nenhum problema de saúde como uma pedra no meu caminho pra me impedir. É pedir demais? Acho que não né.

Essas minhas doenças sempre atrapalham a minha vida social. SEMPRE. É impressionante! É só aparecer eventos legais pra ir, que já vem alguma coisa à frente. Por exemplo, essa semana perdi a última festa do período da faculdade e vou perder uma festa de aniversário. Várias vezes já fiquei doente perto de aniversários e festas fodas. Parece que atrai, sei lá! Fiquei doente (acho que foi uma virose, não lembro bem) perto do show dos Backstreet Boys quando tinha 10 anos e não pude ir. Como eu chorei porque minha mãe não deixou eu ir, eu já estava praticamente boa! Já deixei de ir numa festa de formatura que já tinha comprado o convite e fui obrigada a vender às pressas, em cima da hora. Já quase passei o ano novo em casa por causa de dor, mas acabei ignorando um pouco a dor e indo. Enfim, já deixei de fazer de tudo por causa desses problemas inconvenientes de saúde. Alguém deve ter feito macumba pra mim, botado olho grande e gordo, feito voodoo, sei lá, mas há algo de muito errado nisso tudo, não podem ser meras coincidências. Eu pelo menos não acredito nisso. Sempre há uma causa para tudo o que acontece com a gente, eu só não descobri ainda qual (ou quais) a causa pra eu ter tanto azar. Só sei que eu tô mais do que cansada de toda essa maldita interrupção em todos os meus planos, atrasando a minha vida o tempo todo. Eu não mereço isso!

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Blog, voltei!

A cada dia que passa, eu me supero. Consegui bater mais um recorde: 2 semanas sem postar! Já tava com saudade daqui, da minha vida blogueira-virtual e de ler e comentar nos meus blogs queridos! Mas como tudo tem uma explicação, eu também tenho uma para o meu desaparecimento, e chama-se provas e trabalhos individuais em grupo. Essa semana começaram as provas e eu estava cheia de trabalhos enormes pra fazer, mas agora eu tô de volta! o/

Novidades? Entro de férias dia 20/11. Isso mesmo - daqui a 1 semana! Nem estou ansiosa, imaginem! Tô precisando mesmo descansar a minha cabeça da faculdade e de todas as responsabilidades que ela me deu. Tem certas coisas que estão me fazendo mal e preciso dar um tempo nisso. Eu tento entender, mas quando mais eu penso, menos eu entendo. Não sei se eu que sou responsável demais, ou os outros é que são vagabundos irresponsáveis demais. Alguém nessa história tá demais, ou quem sabe até errado; só não sei quem. Alguém me ajuda a solucionar isso na minha cabeça?

Como cérebro cansado é igual a cérebro sem inspiração, vou deixar um trechinho, que eu adoro, de Clarice Lispector pra vocês:


“Uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente.
Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita fui a criadora de minha própria vida. Foi apesar de que parei na rua e fiquei olhando para você enquanto você esperava um táxi. E desde logo desejando você, esse teu corpo que nem sequer é bonito, mas é o corpo que eu quero. Mas quero inteiro, com a alma também. Por isso, não faz mal que você não venha, esperarei quanto tempo for preciso.”
(Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres - Clarice Lispector)

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Mais uma vez, um desperdício

Não sei se aí na cidade de vocês teve 2º turno das Eleições, mas aqui na minha (Rio de Janeiro) teve, e quem ganhou foi um babaca – o Eduardo Paes. Até agora, todo mundo com quem falei me disse que ficou revoltado, porque o outro – o Gabeira – era o candidato preferido. Há muito tempo que as pessoas não se mobilizam tanto por um candidato numa eleição! O que tinha de coisa na internet sobre ele, incentivando a votar nele, não é brincadeira. Recebi 2 e-mails de pessoas diferentes dizendo pra todo mundo ir votar de blusa verde para influenciar os indecisos a votar no Gabeira. Acabou que eu fui de verde mesmo haha. Quando saí da minha sessão que, por sinal, vi o Caio Blat com a esposa lá nos 2 turnos justificando o voto com a minha mãe, vimos um casal de velhinhos de blusa azul que iam com certeza votar no Paes. Porra, eles não precisam mais votar e ainda vão votar errado?! Fica em casa vendo Faustão que é mais útil, pô!

Para quem não sabe, o Eduardo Paes ganhou com 50,83% dos votos. Revoltante, né? Não sei se ele ganhou por tão pouco só porque o governador Sérgio Cabral adiantou o feriado dos servidores públicos para segunda-feira (para o pessoal viajar, emendar o feriado e não votar no Gabeira) ou porque também houve fraude, mas o fato é que fiquei revoltada como todo mundo. Por mais que haja o senso-comum de que todos os políticos são ladrões, corruptos e safados, o Gabeira passa mais confiança que os outros. Ele pelo menos faz alguma coisa e, se ganhasse, ele teria realmente que fazer muita coisa, porque depois de tanto manifestações de apoio, o povo ia cobrar resultados.

Dias atrás, me mostraram uma comunidade sobre uma manifestação que terá amanhã para tentar tirar o Paes da prefeitura. Quando vi, a comunidade estava com quase 900 pessoas, agora está com quase 13.000 pessoas. Pra vocês verem como o Gabeira estava, e ainda está, sendo apoiado. Só não tem mais gente na comunidade porque nem todo mundo tem orkut ou não sabe da existência dela, ou não quis entrar, mas provavelmente amanhã a manifestação estará cheia.

O resultado dessas eleições só mostra o quanto o povo brasileiro é burro e não sabe votar. Sempre somos obrigados a votar no candidato menos pior, mas as pessoas continuam insistindo em votar no pior. Aliás, como disse o meu professor de Sociologia, e há de se concordar com ele, “Esse negócio de que todo mundo é igual é mentira. Eu não sou igual a um analfabeto! Acho absurdo um semi-analfabeto ter o mesmo poder de voto que eu que tenho 3 faculdades, mestrado e etc!” Gente, venhamos e convenhamos que isso é absurdo mesmo, porque essas pessoas mal sabem escrever o próprio nome, como dão a eles o mesmo poder de voto que uma pessoa politizada? Os governantes são uns espertinhos e dão esse poder a eles porque sabem que são facilmente enganáveis e compráveis. Como disse o Arnaldo Jabor, "O problema do Brasil é que, quem elege os governantes não é o pessoal que lê jornal, mas quem limpa bunda com ele!" O povo vende seu voto por 1 kg de feijão, e isso é deprimente.

Não sou uma pessoa que sabe muito de política e procuro nem me meter muito, mas tenho opinião e entendo o bastante para ficar revoltada com toda essa palhaçada dessas últimas eleições, então resolvi manifestar a minha revolta. O Rio teve agora uma oportunidade de mudar para melhor, ao menos um pouco, pois não dá para resolver todos os problemas em apenas 4 anos, e a desperdiçou por besteira.
Neste vídeo que está circulando pela internet, o Jabor diz exatamente isto, de forma um pouco exagerada, eu acho, mas não deixa de estar certo. Afinal, os cariocas foram idiotas mesmo ao deixar de votar por causa de um feriado premeditadamente adiantando para que essa situação acontecesse.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

I Don't Wanna Grow Up


Quinta-feira (16/10), eu estava voltando para casa e no caminho passei por um colégio em que estava havendo uma espécie de gincana em comemoração ao Dia das Crianças. Um homem lá na frente ditando as brincadeiras no microfone, as crianças no chão pulando ansiosas para brincar, as professoras tentando organizar a bagunça.

Sempre adorei essas gincanas com competições e brincadeiras, e adorava ganhar os brindes, prêmios e medalhas de latão no final. Quem não gostava né? Era tão divertido! Eu poderia ficar horas naquela diversão sem me cansar. Mas depois caía de sono quando chegava em casa. E, claro, como boa gorda de espírito que sempre fui, também adorava os lanches dessas gincanas! hahaha
O mais legal de tudo é que essas gincanas aconteciam várias vezes ao ano: festa junina, dia das mães, dia dos pais, dia das crianças, gincanas anuais dos colégios, e por aí vai.

Ao passar pelo colégio, senti-me nostálgica. Comecei a me lembrar dessas várias coisas da minha infância e cheguei à conclusão de que é bem melhor ser criança.

Quando eu era criança, brincava de casinha; hoje em dia, a sociedade exige que eu forme a minha própria. Eu gostava de brincar de cozinha e achava que um dia ia cozinhar bem igual a minha mãe; hoje em dia não sei cozinhar quase nada e preciso aprender pra quando for morar sozinha não virar uma baleia e falir de tanto comer fora de casa. Eu brincava de Barbie, e hoje em dia a sociedade quer me influenciar a ser uma. Eu brincava de boneca, mamãe-filhinha, e hoje em dia a sociedade quer me obrigar a ser mãe e diz que é anormal não querer ser well, so I’m anormal.




Quando eu era criança, detestava meninos, pensava que jamais iria querer namorar um e tinha nojo quando via um casal de beijando. Hoje em dia é completamente o oposto! Eu adorava montar quebra-cabeças, e hoje em dia não agüento mais quebrar a minha cabeça pra resolver meus muitos problemas. Eu gostava de brincar de carrinhos e qualquer brinquedo de controle remoto; agora consigo perceber o quanto é difícil controlar a nossa vida. Eu era louca por balões caloridos e de personagens, e hoje em dia eu tenho o desejo de poder voar livremente como eles.

Quando eu era criança, a minha maior responsabilidade era de fazer os deveres de casa com contas de soma, subtração, multiplicação e divisão; hoje em dia, preciso somar diferenciais, subtrair os lazeres do meu cotidiano, as responsabilidades rapidamente se multiplicam e o meu tempo é cada vez mais dividido. Antes, eu usava o Lego pra construir e imaginar novos lugares; hoje, a coisa que mais construo é o meu futuro profissional. Eu adorava jogos de tabuleiro, e agora a vida é que me põe em seu tabuleiro, jogando comigo e com as suas outras peças.



Quando eu era criança, tomava Coca-Cola, sorvete, comia batata frita e doces sem me preocupar com peso e saúde; hoje em dia, não consigo mais comer nada disso sem ficar com peso na consciência algum tempo depois ou pensar muito antes de comer, para esse peso não se tornar físico. Eu não gostava de dormir cedo, e hoje simplesmente não o consigo. Até 9 anos atrás, usava qualquer roupa sem me preocupar se ficava bem ou me engordava; agora tenho dificuldade para escolher roupas.

A vida piora muito quando você perde a sua ingenuidade e não é mais alienado em relação aos assuntos do mundo adulto. Com este, vem a preocupação, uma necessidade maior de aceitação, as responsabilidades, o estresse, o sofrimento e, conseqüentemente, o amadurecimento. Quando eu era criança, queria logo ser adulta para poder mandar no meu próprio nariz, só não sabia que era tão difícil assim. Preferia continuar verde.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

10 anos depois...

... eu estou de volta! Eu poderia ter postado antes, mas estava sem a mínima idéia do que escrever aqui. Comecei a ficar doente terça-feira passada à noite e quarta-feira já estava quase morrendo. Não sei bem o que foi, mas pareceu uma virose, que se misturando à minha sinusite e à minha rinite, ficou catastrófica. Mas agora já estou praticamente bem, é o que importa. Fui até à praia hoje depois de séculos sem ir. Com esse tempo frio maluco fica impossível também né... Mas hoje foi só solzão, calor absurdo e muitos homens sarados em volta hahaha! Raíssa aqui está pretinha! Muito bom esse tempo quente.

E viva o Dia de Mestre! Homenagens aos (bons) professores e feriado no meio da semana! =)

Mas o assunto de hoje é outro. Vocês provavelmente já viram que a língua portuguesa está com novas regras, e muito bizarras por sinal. Vejam se não são absurdas:
► Eliminação da trema: agora falaremos linGUIça? SaGUI? ConseQUÊncia?;
► Sem acento em ditongos abertos ei e oi em palavras paroxítonas: agora boia virou esposa do boi, e nem a Coreia escapou;
► Sem uso de hífen: ultrassonografia, antissocial, antirrugas, suprarrenal, e mais pessoas cometendo o erro de colocar 2º “s” e o 2º “r”; autoajuda, contraindicação, infraestrutura, semiárido e essa regra idiota; paraquedas, parabrisa, parachoque e eu parada, espantada, de boca aberta com essas regras idiotas;
► Uso indevido do hífen: micro-ondas, micro-ônibus, micro-orgânico, anti-inflamatório e eu doente de ter que escrever errado.



Não sei por que cargas d‘água foram autorizadas! O que serão dos dicionários agora? Imagina ter que “corrigir” todos os dicionários com essas novas regras totalmente incoerentes?
Se o povo brasileiro é burro e não sabe escrever – nem falar – a culpa não é da pobre da língua portuguesa, e sim do governo que rouba o dinheiro que deveria ser direcionado à educação. E para não ter que investir em educação, investe na evolução da burrice na escrita. Hum, que beleza. É assim que o Brasil vai pra frente, minha gente! Depois dizem que os portugueses é que são burros...

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

More About Me


Eu adoro responder a memes, acho divertido; também adoro preencher fichas e questionários. É isso mesmo: o que a maioria das pessoas detesta fazer, eu gosto e acho legal! Esses memes que estão se espalhando pelos blogs são os antigos questionários que trocávamos com nossos amiguinhos por e-mails na época em que a internet era mais limitada ou seja, não existia orkut e que o ICQ ainda existia. Eu trocava váários e depois mandava de volta com as respostas.

Vi esse meme no blog da Cacá (inclusive algumas respostas estão iguais ou parecidas com as delas, por termos gostos e opiniões parecidas) essa semana e fiquei com vontade de respondê-lo. O que eu acho legal nos memes é que dá pra conhecer um pouco mais da pessoa que o respondeu, seus gostos e opiniões. Tomei a liberdade de adicionar dois tópicos (11 e 12), porque adoro falar de música. Então aí está ele, conheçam-me um pouco melhor! :)

14 listas de sete coisas
1. Sete coisas que faço bem:
- Escrever
- Ser amiga
- Falar espanhol
- Discutir
- Liderar/Mandar (e ser obedecida, claro haha)
- Fazer chapinha no cabelo dos outros e no meu/Me maquiar e maquiar os outros
- Comer

2. Sete coisas que não faço e não sei fazer:
- Comer queijo e qualquer coisa relacionada a esta coisa asquerosa que consideram comida, de jeito nenhum!
- Cortar a Coca-Cola de vez da minha vida
- Demonstrar claramente meus sentimentos a uma pessoa qualquer
- Fingir ser amiga de alguém a ponto de freqüentar a casa, sair e dar presente (uma coisa é ser falsinha pra aturar uma pessoa, outra é fingir ser amiga)
- Consolar pessoas direito (nunca se tem muito o que falar além do ‘poxa, que chato...’), mas sei ajudar a xingar e botar as pessoas safadas que sacaneiam minhas amigas ‘no chinelo’
- Entender certas coisas estranhas e bizarras que não entram de jeito nenhum na minha cabeça
- Academia e dieta (já tentei, mas essa vida super saudável não é pra mim)



3. Sete coisas que me atraem no sexo oposto:
- Senso de humor (Homem tem que me divertir)
- Sorriso (Sorrisos realmente me atraem, ainda mais se os dentes forem perfeitos)
- Ser cheiroso (Homem fedido nem chega perto de mim que eu já saio correndo)
- Entradinhas na barriga (too sexy!)
- Inteligência (Homem burro não tem como...) – o que inclui bom papo
- Me tratar muito bem
- Cabelos lisos (mas se for cacheado bonitinho também pode) - de preferência loiros ou ruivos - e olhos claros

4. Sete coisas que não suporto no sexo oposto:
- Regata (Homem de regata não rola)
- Cretinice (Do tipo 'estou com você só pra te levar pra cama') e se achar demais
- Cantadas baratas e falta de respeito e educação
- Bebedeira (Homem trêbado caindo pelos cantos é deprimente, ainda mais quando chega perto de você, quase caindo, claro)
- Ser babaca/retardado, em todos os sentidos
- Machismo (Machismo é ridículo)
- Pão-durismo (Você não tem que pagar a conta sozinho, mas de vez em quando ou sempre vai bem)

5. Sete coisas que digo com freqüência:
- Tá de sacanagem né?!
- Caracaaa
- Sério?!
- Cara (o mesmo que meu para os paulistas)
- Oh céus (pra evitar falar palavrão em lugares inapropriados)
- Introduzir frases com “ai” (sem voz de menininha retardada, claro)
- “Tô com fome...” hahaha

6. Sete atores/atrizes que eu gosto:
- Jude Law/Kate Winslet
- Wagner Moura/Leandra Leal
- Reynaldo Gianecchini/Mariana Ximenes (em A Favorita o papel dela é um saco, mas eu gosto dela)
- Brad Pitt/Audrey Tautou
- Johnny Depp/Ana Paula Arósio
- Adrien Brody/Natalie Portman
- Keanu Reeves/Nicole Kidman

7. Sete atores/atrizes que eu detesto:
- Marcos Palmeira (ele é bizarro, não sei como as mulheres acham ele gato!)
- José Mayer (ele é bizarro, não sei como as mulheres acham ele gato! ) [2]
- Nicolas Cage (ele é péssimo ator e até hoje NUNCA vi um filme bom ou legal em que ele tenha atuado, impressionante)
- Carolina Kasting
- Joana Balaguer
- Cláudia Raia (quem diz que ela é bonita é maluco, porque ela parece um traveco)
- Danielle Winits (não preciso nem dizer porquê, nem atriz ela é direito)

8. Sete filmes que eu detestei:
- Todos os da série Star Wars
- Todos os da série 007 (só aparecem as bond girls e armas nos filmes todos...)
- A Noviça Rebelde (aquelas musiquinhas retardadas me irritam ¬¬)
- Cidade dos Anjos (um dos filmes água com açúcar mais idiotas que existem)
- Guerra dos Mundos (nunca vi um filme americano atual com efeitos especiais tão precários e história tão boba)
- A Rainha (pela 1ª vez dormi durante um filme no cinema, e uns 15 minutos. Não importa se a fotografia ou o caralho a quatro são bons, o filme é chato mesmo assim!)
- O Segredo (ô filme chato da peste... Outro que eu dormi no cinema, uns 10 minutos)

9. Sete filmes que eu adoro:
- A Chave Mestra
- Memórias de Uma Gueixa
– Jogos Mortais (todos)
- Entrevista Com O Vampiro
- O Fabuloso Destino de Amélie Poulain
- O Amor Não Tira Férias
- Perfume
- Babel/Crash
*Tem muito mais filmes que eu adoro, só 7 é muito pouco.

10. Sete livros favoritos:
- Perdidamente (Júlio Emílio Braz)
- Comédias Para Se Ler na Escola (Luís Fernando Veríssimo)
- 100 Escovadas Antes de Ir Pra Cama (Melissa Panarello)
- Gota D’água (Chico Buarque)
- Amar Verbo Intransitivo (Mário de Andrade)
*Ah, vão ficar só 5 mesmo.



11. Sete bandas/cantores que detesto:
- Calypso
- Amy Winehouse
- Todas as duplas sertanejas
- Todos os grupos de pagode
- Zeca Pagodinho
- Elba Ramalho
- Babado Novo e outras bandas de axé

12. Sete bandas/cantores que adoro:
- Jamiroquai/Oasis
- Janet Jackson/Nelly Furtado
- Shakira/Madonna
- Christina Aguilera/Joss Stone
- Chico Buarque/Adriana Calcanhotto
- Evanescence/Dream Theater
- Death Cab For Cutie/John Mayer
*7 é pouco demais pra música. Não tem como citar só 7 artistas.

13. Sete coisas legais nos últimos sete dias:
- Consegui tirar um cochilo à tarde essa semana, milagrosamente
- Estou viciada numa música fofa de uma banda super desconhecida
- O Lula sancionou a lei do estágio que me será útil dentro de pouco tempo
- O tempo me deixou ir de saia hoje pra faculdade, está um calorzinho agradável e não choveu \o/
- Minha mãe fez bolo de chocolate
- Vi 'Adeus, Lênin' ontem na faculdade depois da aula
- Fui ao cinema depois de meses sem ir

14. Sete constatações inúteis:
- Existe muita gente burra por cm² no Rio de Janeiro (mas não só aqui, óbvio) e isso me irrita
- Homens gatos quase sempre namoram garotas feias e garotas lindas geralmente namoram homem feios
- Quando você quer muito uma coisa, ela jamais acontece. Já quando você não quer, aí sim é 100% de chance dela acontecer, e na pior hora possível
- Tiro notas maiores nas matérias consideradas mais difíceis que nas consideradas fáceis (porque erro besteira nas provas ¬¬)
- Comer muitas coisas gordurosas com freqüência engorda, sim senhores
- É muito chato ser adulta. Quero voltar a ser criança e fazer tudo diferente.
- Tomar injeção dói, e no meu braço (snif).

sábado, 27 de setembro de 2008

Sobre dias de chuva e coisas estranhas


Ontem o céu caiu por algum tempo aqui no Rio de Janeiro, e Murphy conspirou contra mim, pra variar. Quinta-feira saí de casa com uma blusa de manga comprida, um casaco bem quente e com meu tênis mais resistente à entrada de água. Me ferrei: no intervalo das aulas já estava fazendo sol. Já ontem, fui com uma blusinha de alça, uma casaco não tão quente e um tênis branco porque pensei “ontem saí cheia de coisa quente e fez mó calor, hoje também deve ser assim”. Que nada! Estava é chovendo pra caramba! E pra piorar, ainda esqueci meu guarda-chuva em casa! Fui obrigada a comprar um guarda-chuva vagabundéééérrimo de R$ 5,00 em frente à faculdade de um cara que não tinha 5 reais pra me dar de troco por R$ 10,00. Fui trocar o dinheiro na papelaria em frente e quando abri o objeto que acabei de adquirir, ele estava quebrado! A minha sorte é que eu ainda não tinha dado o dinheiro ao cara, aí ele foi obrigado a trocar. Quando fui pedir pra ele trocar, ele ainda falou na maior cara-de-pau: “eu sabia que você ia reclamar, daqui de longe eu vi você abrindo com força...”. Pô, ele queria que eu fizesse carinho e dissesse palavras doces para abrir o guarda-chuva em pleno desabamento de céu? Hahaha

Depois desse episódio, preciso dizer que odeio chuva, não gosto mesmo, nem um pouco. Por mim, o ano todo seria verão e nunca cairia uma só gota de chuva. A única utilidade da chuva é atrapalhar a minha vida. Como disse meu professor de Marketing outro dia: "quando chove, o pessoal de Niterói parece que derrete, ninguém sai de casa!" Bem, eu não moro em Niterói, mas eu também derreto. Quando chove, minha vida pára. Eu olho aquele tempo broxante, aquele céu cinza pela janela e já perco a vontade de sair de casa e de fazer qualquer coisa que me exija energia, cheia de preguiça. Só de pensar em sair de casa toda encasacada, passar frio, espirrar, ainda me molhar toda – quando não fico com o pé encharcado-, já fico desanimada de sair. Resultado: mais um final-de-semana perdido. Sim, eu sou meio velha. Estou acordando muito cedo todos os dias para ir à faculdade sem dormir à tarde e dormindo pouco à noite, e isto me deixa extremamente cansada. Eu realmente não nasci pra acordar cedo. Meu sonho é arrumar um emprego noturno que não seja operária de fábrica, segurança noturna e prostituta, que fique bem claro pra poder dormir tarde e acordar tarde. A noite é muito mais produtiva e mais legal do que a manhã.

Mas voltando ao assunto da chuva... Uma coisa que me irrita em dia de chuva são pessoas andando lentamente, ou melhor, se arrastando. Quando chove, as calçadas ficam molhadas, certo? E, com isso, criam-se enormes poças de água, por onde os carros e as motos adoram passar para molhar os pedestres. E eu não acho legal ser molhada por águas de esgoto lamacentas! Então pessoas lerdas, se toquem e andem mais rápido em dias chuvosos, porque eu não consigo passar por cima de vocês! Se vocês gostam de serem molhadas pelos carros/motos, legal pra vocês, respeito esse (estranho) gosto, mas eu não acho divertido, ok? Então respeitam o meu gosto de ficar limpa e sequinha também e andem mais rápido!
E quando as vovós ou empregadas ficam com aquelas crianças com uma capa de chuva enorme mais um guarda-chuva se arrastando na rua e tomando toda a calçada? Quando dá para ultrapassá-las pela rua, beleza, mas e quando não dá? Aí é respirar fundo e contar até mil para ser educada e não empurrar ninguém. Às vezes eu queria ser mal-educada, mas é contra os meus princípios. Viu? Sou uma menina de família. (A) hahaha

Sabem o que eu acho estranho? Pessoas que dizem não gostar de guarda-chuva. Legal é ficar molhado, gelado, gripado e com febre né? Hum, claro, entendo. Concordo que andar com guarda-chuva não é uma das coisas mais agradáveis do mundo, mas também não é o fim do mundo. Há gente que prefere ficar doente a ter que usar o guarda-chuva. Na verdade, o que elas não gostam é do trânsito de guarda-chuvas na rua. Se você é bem alto, não há problema, pois seu guarda-chuva baterá em muito poucos outros e em pouquíssimas pessoas. Já se você é pequeno (como eu), aí seu guarda-chuva baterá em vários outros e em algumas pessoas. Eu consigo me desviar bem da galera, mas algumas vezes não tem como. Uma vez uma mulher meteu a cara no meu guarda-chuva e eu quase caí. Sim, foi ela que meteu a cara no pobre do meu guarda-chuva! Levei um susto, o guarda-chuva balançou, eu me desequilibrei e quase caí. Mas então... Quando há muitas pessoas com guarda-chuvas na mesma calçada é complicado, porque um bate no outro, temos que esperar a outra pessoa passar para passarmos, etc. Legal também é quando está ventando tanto que o guarda-chuva começa a virar e quase te leva junto com ele. Hahaha


Outra coisa que me faz odiar dias chuvosos é andar de ônibus. Como vocês já viram aqui, eu tenho problemas com ônibus. Vocês riram bastante com as situações tragicômicas por que passei, afinal pimenta só arde no olho dos outros hahaha. Hoje em dia até eu rio, aliás.
Mas voltando ao assunto, uma coisa que me deixa agoniada em andar de ônibus em dia de chuva é que as pessoas fecham todas as janelas do ônibus. Fica todo mundo lacrado naquele ar quente e viciado! Às vezes chega a ser sufocante, principalmente quando está lotado. Tudo bem que está chovendo e ninguém quer se molhar, mas deixe uma frestinha aberta pelo menos senão fica insuportável lá dentro, garanto que não vai matar. Você sai de casa de casaco, entra num ônibus desse e começa a suar lá dentro por causa das pessoas loucas que trancam tudo. Quando o ônibus tem ar condicionado tudo bem, mas quando é dos normais 'quentões', não dá!
Se tiver alguém com uma doença que passa pelo ar lá dentro, você quase com certeza ficará doente. Se você tiver claustrofobia, terá uma crise lá dentro. Se você tiver problemas com glândulas sudoríparas, sairá de lá molhado de suor. Se você passar mal com muito calor, passará mal lá dentro. Bem, vocês já entenderam o quanto é horrível ficar dentro de um ônibus todo lacrado sem ar condicionado, não é?

Enfim, dia de chuva é uma merda. Tudo o que é bom fazer em dia de chuva eu e a maioria da população do mundo não podemos fazer, porque temos colégio/faculdade/trabalho, acordamos cedo e temos responsabilidades. Deveria ter uma lei para a cidade toda parar em dias chuvosos. Tipo a ciesta, mas o dia todo, não só à tarde. Ia ser bom poder dormir até tarde, ficar o dia todo vendo filme e comendo embaixo do edredon em vez de ir estudar/trabalhar, não ia? hehehe

Ps¹: Eu sei que ninguém se importa, mas tirei praticamente 9,0 (7,5 em 8,5) no meu trabalho de Arte e Comunicação e a professora adorou a imagem que eu criei para a frase da Clarice Lispector. Até colocou uma observação no trabalho falando dela! Very cool! =)
Ps²: Hoje é dia de São Cosme e Damião e não ganhei nem um docinho sequer. Aliás, não ganho há anos. Só por que não sou mais criança, poxa? =/

Update

Só agora vi que a Nadezhda me indicou 2 selos! Um deles eu já tenho, então vou repassar só o outro.

Este vai para:

Pequeno LP
Mary West
Ariana
Lays

domingo, 21 de setembro de 2008

Uma Quase-Liberdade

Avatar de mim mesma feito por mim no FaceYourManga.com

Um novo recorde: 10 dias sem postar! Eu poderia ter postado sexta ou ontem, mas estava tão esgotada que não consegui. Dizer que eu estava só cansada é puro eufemismo.

Minha semana de provas e trabalhos chegou ao fim! Quer dizer, a um quase-fim. Por quê? Porque ainda tenho uma prova essa quinta-feira e um trabalho (em grupo ¬¬) insuportável pra fazer pro dia 29/09. Tudo bem, pelo menos agora estou mais livre. Essa semana de provas foi a mais intensa que já tive até agora! Muita matéria e muito pouco tempo para estudar, trabalhos chatos e trabalhosos para fazer para entregar na mesma semana, muitas pessoas que não fazem nada, ou seja, muito trabalho e muita canseira pra mim. Mas no final deu tudo certo: meu trabalho de Arte e Comunicação ficou lindo claro, eu o fiz praticamente inteiro sozinha! Agora é esperar as notas né de tudo... ah, a agonia da espera!

Peguei uns filmes na sexta e só assisti 1 até agora, Dançando No Escuro, um filme dinamarquês com a Björk como protagonista. É um misto de filme musical, mas não completamente, porque musical geralmente tem mais cenas dançantes musicais que cenas de um filme propriamente dito. Esse tem só algumas cenas musicais, pois a Selma (Björk) vive num mundo de fantasia que é um musical. Ela tem uma doença genética que a vai deixando cega gradativamente e não quer que seu filho tenha o mesmo destino, então vai morar nos EUA e economiza dinheiro para pagar a cirurgia do menino. Só que depois ela é acusada injustamente de um crime e sua vida dá uma reviravolta. O filme é meio monótono, mas é bom. E, bem... eu nunca chorei tanto num filme em toda a minha vida. Nunca fui de chorar em filme, acho besteira. Até hoje, só chorei em 2 filmes, sendo que só caiu uma lágrima em um e duas no outro. Mas no final desse, eu me debulhei em lágrimas, foi bizarro! Apesar dessa minha sessão sensibilidade repentina, vale a pena ver o filme. É difícil de achar, mas tentem.

Mais uma vez, ninguém tentou desvendar o vídeo dos posts anteriores ou não conseguiu abrir. Mas o abraço virtual ainda está valendo pra quem conseguir. Hahaha

Selinho!
A Ariana me deu este selinho. Muito obrigada, linda! :)


Repasso para:


Upadate:
Acabei de ver que ganhei um selo da Tatah. Lindo o selo, amo borboletas! Obrigada mesmo! :)


Repasso para as mesmas pessoas do outro selo.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Esclarecendo.

Uau, 8 dias sem postar! Superei-me. Vou explicar os motivos:


Ando sem muita imaginação para escrever textos no blog;

Semana que vem é a semana de provas da faculdade, ou seja, necesito estudiar;

Muitos e muitos trabalhos - que os professores passam em cima das provas por sinal malditos - demorados e complicados, em sua maioria e todos em grupo, o que piora ainda mais a situação;

Falta de paciência com a internet ultimamente. Não estou querendo saber nem de MSN;

Passei mal o sábado inteiro por causa do meu estômago inconveniente uhull ¬¬;

Estou super estressada e irritada desde terça-feira. Por quê? Por vários motivos, mas o principal : meu grupo de trabalho não faz quase nada ou até nada e fica tudo - ou quase tudo - nas minhas costas, ainda mais porque não gosto de deixar na mão dos outros, pois sei que com os meus perfeccionismo, detalhismo e capricho os trabalhos ficarão melhores;

Tenho 2 trabalhos para entregar semana que vem, bem em cima das provas, olhem que legal! Pelo menos não são tão complicados... Porém, outros 2 são complicados e mal começamos (eu e meu grupo) a fazê-los;

Além do que acabei de citar, mais um motivo para eu não deixar os meus trabalhos em mãos alheias, motivo esse que me deixa abismada: das pessoas da minha turma, as que eu já vi algum texto, todas escrevem mal. Mas não é mal de não ter imaginação, é algo mais grave: é mal por cometerem erros boçais e espantosos de português. Não sabem usar vírgulas, pontuar, usar crase (!!), escrevem palavras de forma errada (tipo anCioso, e daí pra baixo), ou seja, não sabem escrever. Agora me expliquem, por favor, porque eu não consigo entender: por que cargas d'água pessoas que são péssimas em português escolhem fazer faculdade na área de Humanas? Pior ainda, fazer Comunicação Social? Não sabe português, vai fazer algo na área tecnológica, ué. Não sabe matemática, é? Ih, então não dá nem pra fazer nada na área biomédica, pois nessa área algumas das disciplinas universitárias são cálculo e física. O que fazer então? Hum, vamos pensar... Acho que educação física é uma boa escolha. Vire personal trainer e exercite seus músculos, porque os do cérebro estão fracos. Outra opção é fazer Belas Artes (que eu adoro, por sinal), aí é bom que as pessoas só pintam, desenham, esculpem, etc. e não escrevem besteiras. Fiquei revoltada com o que fizeram com um trabalho meu essa semana! Só porque eu não fiz uma revisão, saíram vários erros de português em pouquíssimas palavras em 3 peças publicitárias! Algo simples se transformou num monstro contra a ortografia. Não entendo como as pessoas fazem os trabalhos de qualquer jeito sem se importar, afinal elas precisam de nota pra passar de período, e a maioria dos professores não é boazinha nem dá nota de graça. Pagar faculdade que você mesmo escolheu pra levar nas coxas é foda, minha gente.

Agora mudando de assunto...



No post passado, deixei este vídeo para vocês verem e tentarem decifrar. Só o LP se manifestou a respeito dele, mas infelizmente não descobriu o seu mistério. Vejam, é muito legal, além de genial! Quem conseguir descobrir o que há por trás dele, ganha um abraço virtual meu, olha que carinhoso! hahaha
Mas é sério, vejam o vídeo. Suas vidas irão mudar depois de vê-lo. Se não mudar, pelo menos alguns de seus conceitos serão mudados.
Só não vale a Cacá contar nos comentários, porque eu já falei pra ela o que é =P

Beijos e até o próximo - e talvez distante - post! o/

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

A arte da convivência

"A arte de viver é simplesmente a arte de conviver... simplesmente, disse eu. Mas como é difícil!" (Mário Quintana)

Conviver com a sociedade não é fácil, ainda mais quando todas as pessoas que a compõem são tão diferentes umas das outras. Cada um possui um caráter ou não possui, mas aí já é outro caso, uma personalidade, um jeito de falar, de se expressar, uma maneira de pensar, de encarar as situações, de ver o mundo e a vida. Há pessoas que são muito parecidas, até quase iguais, mas cada uma tem a sua particularidade que a diferencia de todas as outras. São essas diferenças que tornam a vida e a vida em sociedade mais interessante.

Se todos fossem iguais, por um lado seria bom, pois não haveria brigas, discussões e haveria mais paz no mundo já que todos pensariam e agiriam igual; mas por outro, seria muito chato, porque, afinal, quem iria movimentar essa manada? Haha
Existem pessoas de que não gostamos, que não suportamos, que nos sacaneiam, que são falsas conosco, que nos fazem sofrer; e nós também fazemos isso com outras. E são esses conflitos que dão mais emoção à vida. Imagina se nada de ruim acontecesse, se nós déssemos bem com todo mundo e não tivéssemos problemas? De onde viria aquela felicidade pós-problema-resolvido? Eu detesto ter e ter que resolver grandes problemas, mas às vezes eu penso que a vida não teria tanta graça sem alguns (eu disse: apenas alguns!) deles para dar uma balançada em mim, seria muito parada e monótona; e eu detesto monotonia, me dá pleno tédio.

É legal viver em sociedade. Admito que gostaria que algumas pessoas não existissem, mas faz parte aturá-las e isso me ensina a lidar com vários tipos de pessoas diferentes sem precisar brigar, a amadurecer e a ficar mais esperta. Viver é um constante aprendizado, nunca paramos de aprender. Além disso, as pessoas de que gostamos (e que gostam de nós também, claro) compensam a presença indesejada das pessoas desagradáveis, e nos ajudam a conseguirmos aturá-las. Não só de pessoas chatas é composta a Terra. Se assim fosse, aí sim a convivência seria insuportável. Felizmente, existem pessoas com quem possuímos afinidades e que nos ajudam a aprender, de forma mais amena, sempre mais sobre a difícil arte da convivência, afinal, mesmo nos dando bem com elas, também possuímos nossas diferenças.




Ps¹: O LPzinho fez uma homenagem pra mim em seu blog. Como fiquei super feliz, precisava postar aqui! Obrigada mais uma vez, meu amigo! :)

Ps²: Hoje na aula de Introdução à Comunicação, o professor mostrou um comercial extremamente genial, então decidi compartilhar com vocês. Quem conseguir desvendar o comercial ganha um chiclete! =P


Ps³: Por falta de tempo devido aos vários trabalhos da faculdade e ao fato de eu precisar estudar, não estou conseguindo responder todos os comentários, mas prometo que aos poucos vou respondendo todos!

terça-feira, 26 de agosto de 2008

"Beleza não põe mesa...

... mas também não precisa comer no chão, né!”
... mas comer no chão é falta de educação.”
... mas ajuda bastante.”
... mas abre o apetite, pode ter certeza!”

"Dizes que a beleza não é nada? Imagina um hipopótamo com alma de anjo... Sim, ele poderá convencer os outros de sua angelitude, mas que trabalheira!" (Mário Quintana)

“As feias que me perdoem, mas beleza é fundamental.” (Vinícius de Morais)





Estas frases mostram bem a real opinião da sociedade em relação à beleza. Nessa feroz competição em que a sociedade nos insere, a beleza se torna praticamente fundamental. Está certo que cada um tem a sua beleza e o que bonito para um não é para outro e vice-versa, mas é necessário ter uma beleza, digamos, ‘aceitável’ aos olhos da sociedade, senão você é excluído de alguma maneira.

Na hora de procurar emprego, por exemplo, a aparência conta muito. Não precisa ser uma pessoa linda, mas se for horrorosa só será contratada caso seu currículo seja impecável e sua entrevista tenha sido ótima. Ao mesmo passo que se uma pessoa linda tiver um currículo mais ou menos e fizer uma boa entrevista, pode ser que seja contratada. Tudo é muito relativo, pois depende da empresa, de quem irá entrevistar e contratar, do caso de cada um, mas o fato é que a beleza influencia bastante na vida profissional de um indivíduo.

Na hora da paquera expressão tosca, eu sei hahaha, a beleza também é de grande ajuda. A beleza interior pode ser mais importante, porém a primeira coisa que conhecemos numa pessoa é o seu exterior. Eu admito que sou exigente, provavelmente por ser muito detalhista, mas não acho que só a beleza conta. Pra mim, charme conta muito, às vezes até mais que a beleza. Agora... quando um (a) homem (mulher) lindo (a) está afim de você, você não vai preferir o (a) pegável que está te dando mole, não é mesmo? Isso é natural do ser humano, de preferir sempre o melhor. Tenho consciência de que posso ter perdido boas oportunidades com essa minha exigência, mas eu não consigo ficar com alguém que eu não sinta nenhuma atração. Se não for ao menos bonitinho, tem que ser ao menos charmoso ou muuito legal. Aposto que a maioria aqui utiliza critérios de escolha parecidos com os meus, e é normal. Afinal, só é possível enxergar a verdadeira beleza de alguém depois de um tempo que conhecendo-o.


Devido a essa procura desenfreada pela beleza perfeita, as pessoas - especialmente as mulheres, que são pressionadas pela sociedade para estarem sempre lindas e gostosas – estão cada vez mais vaidosas. Por um lado, é bom, porque se cuidar e se sentir bem consigo mesmo (a) é essencial. Por outro, essa vaidade já se tornou excessiva, porque não basta ser bonito (a), é preciso estar sempre bonito (a) e, de preferência, ser o (a) mais bonito (a). Com isso, as pessoas chegam a correr risco de vida para poder alcançar tais objetivos. São lipoesculturas, plásticas, botox, tratamentos de pele e de cabelo, remédios para emagrecer, e muitos gastos excessivos desnecessários. E essa situação não está nem longe de acabar, pois ser bonito (a) sempre está na moda. Essa é a lei da selva, meus amigos. As pessoas só vão perceber o quanto estão fazendo mal para si próprias quando descobrirem o verdadeiro motivo pelo qual a vaidade é um dos 7 pecados capitais.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Don't stop the music!


Não sei se vocês já perceberam o quanto a música influencia nossas vidas, o poder que ela tem sobre nós. Percebo sempre a influência dela em muitos momentos da minha vida e até de outras pessoas.

Por exemplo, quando estou de mau humor e ouço uma música positiva, muitas vezes o mau humor passa. Assim como quando estou de bom humor e ouço uma música que me lembre algo que me dá raiva, começo a ter princípios de mau humor.

Se eu estiver alegre num dia e começo a ouvir muitas músicas depressivas, começo a pensar em várias coisas que me deixam deprimida e acabo ficando deprimida. Do mesmo modo, quando estou deprimida e ouço músicas alegres, fico mais alegre. Em dias de tédio, nada melhor que ouvir músicas dançantes! Dá uma boa animada.

Se você gosta de Rock, Samba, Reggae, Funk, Hip-Hop, MPB, Heavy Metal, Pop ou axé, pouco importa. O que importa é como e o que você sente em relação à música, o que você sente ao ouvir uma música. Eu gosto de quase todos os tipos de músicas, com exceção de alguns que não suporto – sertanejo, samba de raiz, pagode, axé e estilo Calypso (o chamado Tecno Brega). Cada tipo de música me toca de uma maneira diferente, mas todas têm seus momentos. Aliás, eu gosto de tantos tipos de músicas que elas acabam se misturando em vários momentos. Além disso, a música faz a minha imaginação funcionar mais e melhor. Quem nunca imaginou cenas ao ouvir uma música? Eu vivo imaginando, tanto em casa quanto na rua ouvindo meu mp3. Meus pensamentos fluem melhor ouvindo música. Aliás, tudo na vida flui melhor quando há música presente.

Sou totalmente dependente de música. Um dia sem ouvir música, não é um dia completo. Se pudesse, eu ouviria música o dia inteiro. Desde pequena, tenho fascínio por esse mundo da música. Um dos meus sonhos é aprender a tocar piano, teclado, bateria, violão, guitarra, violino e flauta transversa. Mas a única coisa que sei tocar é chocalho hahaha. Acho o máximo quem sabe tocar qualquer tipo de instrumento!

Na minha época falou a velha agora, crianças com 7, 8 anos geralmente não ouviam nada diferente de Xuxa, Eliana e músicas de filmes da Disney, desenhos animados e programas de tv infantis. Porém, eu cresci ouvindo todo tipo de música, e aprendi a apreciá-la; gostava de cantar também (e ainda gosto), até que dou pro gasto haha. Enquanto a maioria das crianças estava vendo Cartoon Network, eu já estava vendo clips na MTV. Sempre gostei de comprar cd’s e de conhecer novos (as) cantores (as) e novas bandas e de ver seus clips. Aliás, quem quiser me indicar alguma, vou adorar! Adoro descobrir novos estilos, novas bandas, novas músicas. Minha última descoberta musical foi a banda Death Cab For Cutie, excelente! Já virou uma de minhas preferidas, só falta baixar um CD.



Também amo dançar, qualquer tipo de música (menos samba, porque sou uma carioca que não sabe sambar). A dança é a principal e mais bela expressão da música. Na dança, a música encontra liberdade para se expressar e se utilizar da imaginação para criar seus movimentos, verdadeiramente artísticos. Em alguns tipos de dança, os movimentos dos corpos são fascinantes! Sei dançar poucos ritmos, mas gosto muito de ver os outros dançando. Ainda hei de aprender a dançar de tudo!

Tenho certa inveja de pessoas que lidam com música, que cantam, tocam instrumentos, são produtores, ou o que quer que seja que trabalhe com música. Deve ser maravilhoso viver de música, sentir e respirar música todo o dia. Eu sei que é brega, mas acho mágico o mundo da musica, e essa magia me encanta cada vez mais.





So please don't stop the music, never!

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Meme e selo



Fiquei com vontade de responder esse meme e, como fiquei sem tempo para escrever algum texto essa semana, ele vem mais ainda a calhar.

Aviso: Todas às vezes que forem postar em seus bloggers esse Meme, postem ele completo (incluindo esse aviso), por favor. Feito por T. Eu gosto dos Memes que vejo por ai, mas eu quis criar um Meme mais sério, e com perguntas diferenciadas. E aqui está ele:

Nome completo: – Raíssa R. R. S. (não gosto dos meus sobrenomes, por isso não vou escrevê-los)

O que você pensa sobre o aborto? – Em primeiro lugar, sou a favor da legalização do aborto.
Quem é contra só usa argumentos vazios, além de ser bem hipócrita. O argumento “está tirando a vida de um ser” (que não existe ainda, por sinal) é o mais hipócrita de todos! Se as pessoas não se importam quando matam um mendigo, por que cargas d’água vão se importar com um ser que nem está formado de uma mulher que nem conhece ser abortado?! Ah, façam-me o favor né. Se alguma mulher quiser fazer um aborto: o corpo é dela, o ser que ainda nem se formou é dela, a decisão é dela, a vida é dela, a responsabilidade é dela; e ninguém tem o direito de se meter nisso. De nada adianta o aborto não ser legalizado, pois as mulheres continuam abortando, e de formas muito mais perigosas do que se fosse legalizado! Para quem diz que se importa com isto, elas correm muito mais risco assim! Se fosse legalizado, existiriam clínicas autorizadas e com profissionais competentes e capacitados em vez de clínicas clandestinas com pessoas que sequer têm um diploma. Existem outras formas de aborto, que são perigosas para a saúde da mulher e pode deixá-la infértil também. Quem não tem dinheiro para comprar camisinha ou pílula, não vai deixar de ter relações sexuais com o namorado/marido por causa disso. A distribuição desses contraceptivos nos postos de saúde é péssima. Não é chegar lá e dizer “me vê 5 caixas de pílula e 50 camisinhas”, você tem que passar por uma consulta com uma ginecologista (que demora meses para ocorrer), para só depois pegar 1 caixa e provavelmente poucas camisinhas. Ora, se as pessoas usam até mais de uma camisinha em uma única relação, elas teriam que ter dias marcados para se divertir e usar uma só? Até parece né, minha gente... as pessoas não sabem e/ou não pensam na realidade e ficam se dizendo contra, mas se elas estivessem no lugar dessas mulheres duvido que não fizessem o mesmo. Claro que existem mulheres com poder aquisitivo, adolescentes principalmente, que praticam o aborto, mas é problema delas se elas querem ou não ter um filho. Para uma adolescente, então, um filho estraga a vida.

Qual sua opinião sobre a Lei Seca? – Maravilhosa, adorei! Só na primeira semana de aplicação, já diminuiu 47% dos acidentes de carro. Isto é ruim por um acaso? Tudo bem que foi uma medida agressiva que não foi avisada ao povo antes de ser tomada, mas que está sendo ótima, está. As pessoas estão até fumando menos! Das últimas vezes que fui em boate, saí com menos cheiro de cigarro, porque havia menos pessoas fumando na minha cara lá dentro, já que algumas pessoas só fumam quando bebem e, como não podiam beber, não fumaram. Olha que beleza, ainda gastaram menos dinheiro! Se quiser se embebedar, que seja num boteco barato perto da sua casa, que você pode voltar a pé, ou então em casa. Compre sua cerveja, sua vodka ou o que quer que seja, e encha a cara sem perturbar ninguém.

Qual sua maior ambição? – Ser multimilionária e ter o cabelo mais liso do mundo hahaha. Ah sim, e viajar o mundo todo.

Qual seu filme preferido? – Pô, são muitos. Não existe só um preferido. Tem os filmes de que mais gosto do meu perfil do blog.

Entre branco, verde, preto, roxo, fica com qual cor? – Roxo, minha 3ª cor favorita.

O que faria se ganhasse um milhão de reais? – Nossa, muuuuuuitas coisas! Desde gastar absurdos com minhas futilidades e vaidades até ajudar instituições e boas ONG’s.

Qual é a sua cidade e qual parte dela você mais gosta? – Rio de Janeiro/RJ. Sei lá de que parte mais gosto dela. Gosto de algumas praias, de um shopping em especial que eu amo mas quase não posso ir porque é muito longe da minha casa, de alguns cinemas também. Gosto do Jardim Botânico, mas acho um programa muito namorado e não sou muito chegada a programa naturebas, então não vou há muitos anos.

Qual sua opinião sobre a frase "Deixa que digam, que pensem, que falem(...) "? – Assim... ando vendo muitos orkuts de pirralhas toscas com essa frase na legenda das fotos, então estou meio aversa à ela. Mas a filosofia dela é boa.

O que pensa sobre religião? – Religião é lavagem cerebral, prontofalei. Acredito em Deus e ponto. Você não precisa de uma religião pra isto.

O que considera a coisa mais importante da sua vida? – Minha mãe.

No que você pensa mais que tudo? – Como será o meu futuro, quando eu estiver com uns 40 anos.

Qual a música que você mais ouve? Vixi, ouço muitas e muitas músicas! Não tem uma só, tenho vários vícios musicais.

Concorda com a frase "Tudo tem dois lados." Se sim ou se não, por quê? – Claro, porque tudo tem 2 lados? hahaha

Entre frio ou quente? – Quente!

Entre dia ou noite? - Noite.

Entre doce ou salgado? – Salgado, meu mal engordativo. Quase não ponho sal na comida, mas adoro salgadinhos e comer muito. Adoro doce, mas só como quando estou com muita vontade.

Entre terror ou drama? - Terror. Detesto drama.

Qual sua maior qualidade? – Sinceridade (o que muitos consideram defeito).

O que pensa sobre as Cotas Raciais? - Cota Racial = PRECONCEITO + INJUSTIÇA [2]

A gíria que mais fala?Cara, oh céus, tá de sacanagem né?, putz, tipo, pó, sei lá.

Eu tenho que: - Ser mais paciente.

Eu posso: - Fazer muitas coisas.

O que mais chama atenção em mim: - Sei lá, quem tem que dizer isso são as pessoas que me vêem. Gosto da minha boca com uma pinta estilo Marilyn Monroe do lado. ;)

O que mais chama a minha atenção nos outros: - O sorriso com dentes perfeitos, a boca, o olhar e o cabelo.

Deixe um recado: - É isso aí... não vou passar pra ninguém, mas quem quiser responder esse meme, fiquei à vontade! Espero que tenham gostado das minhas respostas. Ao menos, vão entretê-los por alguns minutos hehe. Beijos!

Selo!

Ganhei este selinho da Ariana. Muito obrigada!


Repasso para:

Tiago
Nadezhda
Nega

sábado, 9 de agosto de 2008

Vida de Universitária

Quase uma semana sem postar no blog e cá estou eu de volta! Queria ter postado ao longo da semana, mas sempre chegava cansada e/ou meio tarde em casa e não consegui. Não costumo postar sobre a minha vida no blog, mas hoje estou com vontade! Adorei todos os professores e a maioria das matérias, e amei a faculdade!
A semana foi toda de trote. Cada dia tinha uma coisa diferente.

2ª feira foi o dia da apresentação da faculdade: todos os calouros reunidos no auditório e as pessoas explicando o esquema. Depois vieram os veteranos para dar uma zuada. Pegaram os cigarros dos calouros fumantes, chamaram alguns lá na frente no palquinho e depois foi todo mundo a um bar próximo beber. Eu não fui porque estava super cansada e não sabia onde era o lugar, então voltei pra casa e tirei um cochilo hehehe

3ª feira Todos levaram livros para a faculdade para dar para uma instituição de crianças lá perto. Quem quisesse, ia lá entregar com o pessoal do Diretório depois. Eu, claro, gorda vim pra casa almoçar hahaha

4ª feira foi O melhor dia! Todos os calouros tiveram que ir com uma blusa a-rgh-marela. Tive que comprar uma blusa amarela, porque eu detesto amarelo e não tenho nada amarelo. Bem, agora tenho a blusinha básica que comprei. Juntaram todos os calouros no auditório e começaram a chamar todos lá na frente pra fazer várias coisas. Algumas garotas abanaram, fizeram massagem, dançaram, etc com os caras do Diretório. Os garotos faziam massagem nas meninas do Diretório, “seguravam” o teto, seguravam várias mochilas com os braços abertos, só essas bobagens. 3 dançaram créu, outros ganharam um nariz de palhaço, de elefante, peitos e bunda de borracha, só bobagem! Haha E alguns ainda botaram a cueca por cima da calça! Vi cuecas de todos os tipos! xD
O auge foi quando chamaram 2 meninas lá na frente pra escrever sinônimos de ‘minino’. Ou elas estavam de fazendo de santas, ou ficaram putas de tererm sido chamadas praquilo e sacanearam. Olha o que foi escrito: cavalo-marinho (!!), princesinha (?!!!!³²¹), cata-vento, pequenininho (essa só teve más experiências hahaha); a outra escreveu nomes de homem - Joaquim, Caetano, ... hahaha
Foram feitas muito mais brincadeiras, mas só estou fazendo um resumo, senão eu faria um post só contando sobre elas. Antes que me perguntem, não me chamaram para nenhuma brincadeira, infelizmente! Hahaha




5ª feira foi o dia do trote de tinta. E quanta tinta, hein! Como você podem ver pela montagem que fiz com algumas fotos, eu fiquei com aproximadamente 85% do corpo pintado hahaha
Além de tinta, ainda jogaram café com água, leite (ai, morro de nojo de cheiro de cheiro de leite)ovo (só foi 1 na minha cabeça), farinha (mas não pegou em mim, por sorte), purpurina (que só vi que tinha quando tirei a blusa pra tomar banho, porque não tinha praticamente nada) e uma água muito fedida que só respingou em mim, por sorte também. Mas o pior mesmo foi a tinta! Foi muuuita tinta no meu pobre cabelo! Tive que lavar 5 vezes pra sair tudo! Depois da tortura da tinta, mandaram a gente pedir dinheiro na rua. Eu, como não tenho vocação para mendigo e acho um saco ficar pedindo dinheiro na rua, Pedi só um pouco e fui embora pra casa tomar banho.

6ª feira – ontem – teve uma cervejada depois da aula com cerveja liberada. Eu, como odeio cerveja, só fui pra dançar e pra me enturmar mais com a galera. Quem bebeu, me disse que a cerveja estava com gosto de meia suja com xixi. Não quis nem provar! Vocês iam querer? Hahaha

Minha semana de trote foi assim, bem agitada, como vocês podem perceber. Agora a rotina é acordar 5:45 da manhã, ir pra faculdade e voltar sei-lá-que-horas pra casa. Daqui a pouco, vêm os milhões de trabalhos para ocupar ainda mais o meu tempo, então não sei quando postarei de novo. Mas não abandonarei o blog, porque adoro isso aqui! :)

domingo, 3 de agosto de 2008

Bola murcha


Já repararam na quantidade atual de pessoas loucas pelo seu time? Pois é, eu já reparei e acho um tanto quanto estranho. Vou explicar. Antes de mais nada, preciso dizer que não gosto de futebol. Simplesmente não gosto. Acho um esporte violento, em vários sentidos.

Nos últimos 2 anos pra cá, tenho visto muitas pessoas se transformarem em viciadas por futebol e apaixonadas por um time pelo qual eu nem sabia que elas torciam. De um dia para o outro, um monte de gente apareceu com camisetas de times, comunidades do time no orkut, o nome do time escrito nas paixões do orkut, vídeos do time no orkut, declarações no msn sobre o time, idas ao Maracanã (no caso do Rio), e por aí vai. Essa gente toda jamais havia se manifestado sobre futebol e de uma hora pra outra se torna uma grande fã e torcedora fanática! Como pode?! Eu fico bem intrigada com isso. Como uma pessoa que nunca ligou para futebol ou que nunca gostou pode se tornar tão fanática num tempo tão impressionantemente curto?

Pra mim, isso só tem uma resposta: chamar atenção. Agora é moda ser fanático pelo time, juntar a galera e ir pro estádio tirar fotos, colocar altas declarações de amor no orkut e no msn pro time. Ah, pára que isso é tosco né! Quem sempre adorou futebol e tem hábitos assim há muitos e muitos anos, tudo bem, a gente entende. Agora, do nada?! Desculpem-me, mas é pra chamar atenção. Sei lá, parece que ser assim dá um certo status social, porque sempre tem alguém afim de discutir sobre futebol em um grupo. Eu detesto. Se vierem com papo de futebol, eu já mudo logo de assunto. Não entendo quase nada de futebol e nem quero entender, é inútil; e acho um assunto chato para se colocar no meio de uma divertida roda de amigos. Tantas coisas legais para se conversar, pô...

Uma coisa que eu não suporto é gente que briga por causa de futebol. Discute, grita, xinga, até bate se bobear! Porra, é só um time, é só futebol! É óbvio que a pessoa que torce para outro time vai falar mal do seu, sacanear o seu quando perder, ainda mais se for um time rival. Você tem que aprender a conviver com isso sem partir para a violência senão daqui a pouco vão criar um Clube da Luta para Rivais Futebolísticos. Não tem nada mais sem sentido e ridículo do que esses caras que ficam se matando em frente ao estádio após um jogo. Aí quando morre um, ninguém tem culpa né? “Ah ele falou mal do meu time.” E a gente com isso? Esses brutamontes brigam pelo time como se estivessem defendendo a honra da mãe! Vai dizer que não é deprimente? Tantos acidentes e tantas mortes que já aconteceram por violência gratuita por causa de futebol que poderiam ter sido evitados apenas pelo bom senso! Você pode amar futebol, ser viciado – o que for, mas tem que ter a noção de que aquilo é um jogo, uma brincadeira, um divertimento; não uma briga, uma disputa violenta. Muita gente vai assistir a jogos nos estádios já com intenção de criar confusão, criar brigas. Eu já vi homens caras de pau falarem isso em plena entrevista ao vivo na televisão e fiquei pasma quando um cara falou “que já veio preparado pra brigar e trouxe até arma”, “eu venho pra brigar, eu gosto disso"!! Aonde esse fanatismo vai parar?! Provavelmente na UTI e nos cemitérios. Eu até tenho vontade de assistir a um jogo no Maracanã, mas como essa violência que acontece eu tenho até medo, ainda mais porque sou flamenguista - o maior rival de todos os outros times. Ora, se toda disputa fosse assim, não existiria uma viva alma para contar história na Terra! Eu sou totalmente contra violência física. Quer brigar? Então que seja verbalmente, mas sem partir para a ignorância. Às vezes vira até gargalhada depois. Fico revoltada com essas situações! Por que nos campeonatos dos outros esportes não existe esses tipos de briga se são os mesmos times competindo?

Na Copa do Mundo as pessoas não brigam assim. Por quê? Porque todos estão torcendo para o mesmo time, porque ninguém discorda do outro, ninguém ‘peita’ o outro, ninguém disputa idiotamente com o outro por besteira. Estão todos do mesmo lado, vibrando e torcendo juntos pelo Brasil. O problema todo é o orgulho. Tem gente que não sabe perder. Essas pessoas têm que se conscientizar de que, na vida, nem sempre ganhamos; muitas vezes, perdemos. E se elas não aprenderam a perder num mero jogo de futebol, vai ser bem pior em outras áreas nas suas vidas. A gente tem, sim, que aprender a perder com decência, sem ter vergonha ou medo. Faz bem pra nós mesmos e para quem está em volta, torna o clima mais harmonioso.

Além disso, o que mais me revolta no mundo da bola é o salário dos jogadores. Eles não fazem NADA pra ganhar salários milionários! Isso é o cúmulo do absurdo! Tantos profissionais formados lutando para sobreviver, subir na vida, ganhando super mal e esses jogadores - que muitas vezes nem têm o 1º grau completo – ganhando rios de dinheiro sem fazer nada de útil para a sociedade! Gente, venhamos e convenhamos: jogar futebol pode ser uma profissão honesta, mas é inútil, não é trabalho de verdade. Por mais que os treinos sejam duros, que eles fiquem cansados, os jogadores só jogam, só brincam. Quem dera que todo mundo pudesse trabalhar no seu hobby e ficasse rico com isso! Enquanto isso, milhões, bilhões de pessoas estão trabalhando duro todos os dias e ganhando uma miséria. Cansado todo mundo fica, independente do trabalho. Uma diarista, por exemplo, se esforça muito mais que um jogador de futebol para fazer limpeza e arrumações pesadas das casas, além de cuidar dos filhos da patroa e cozinhar. Pedreiro também tem um trabalho bastante cansativo, mais do que jogar futebol. E nem por isso esses trabalhadores ganham de acordo com o seu esforço.

Os professores (com exceção dos universitários e de cursinho, que ganham melhor), por exemplo. Eles têm que trabalhar demais pra conseguir ganhar um salário médio. O salário deles é injustíssimo. Sem eles não haveria mais nada. Eles que ensinaram seus avôs, seus pais, você; e vão continuar a ensinar seus filhos, netos, bisnetos... eles são a base de todas as outras profissões! E são valorizados por isso? É claro que não.
E os médicos? Eles passam 6 anos na faculdade, fazem residência, especializações, estão sempre sendo obrigados a se atualizar para cuidar melhor dos pacientes. Todo mundo acha que médico ganha rios de dinheiro. Santa ignorância! Sou filha de pais médicos e posso dizer, com certeza, que não é bem assim. Os médicos têm que ralar muuito pra conseguir ganhar um bom salário! Ou vocês acham que o Governo paga bem a eles? Se pagasse, o Conselho de Medicina não estaria fazendo a campanha Quanto vale o médico? há tanto tempo, não é? Essas são apenas algumas das milhares de profissões mal pagas que lutam para tentar ter um salário, ao menos, decente.


Se você perguntar a um garoto de uma comunidade carente o que ele quer ser quando crescer, ele obviamente vai responder que quer ser jogador de futebol, para ganhar dinheiro fácil. Olha o que o futebol faz com a cabeça dessas crianças: elas sabem muito bem que os jogadores em sua maioria vêm de origem humilde, assim como elas, e que quase não estudaram, e elas querem ter o mesmo destino dos mesmos em vez de estudar e fazer uma faculdade, progredir na vida, porque é mais fácil e dá dinheiro sem ter que fazer quase nada. Ainda viaja de graça pra jogar fora, olha que beleza! Tentador, não?

Outra coisa que me deixa irritada é como as pessoas são volúveis com relação aos jogadores. Acham que eles sempre têm que jogar bem, sempre têm que estar bem. Os jogadores são pessoas como quaisquer outras; têm problemas físicos, psicológicos e de saúde, nem sempre estão num bom dia. Sabe quando você acorda e acha que nada tá bom? Pois é, eles também têm esses dias. Muitas vezes, eles ficam de saco cheio de fazer sempre as mesmas coisas, tenho certeza. O Ronaldo, por exemplo, foi aplaudido, teve seu nome gritado várias vezes em estádios de todo o mundo, e agora só porque teve problemas de saúde e está gordo, é alvo que críticas diárias. Assim como outros jogadores-ídolos que quando jogam super bem são ovacionados e quando jogam mal, são vaiados sem a menor pena ou culpa. Aí eles voltam a jogar bem e, conseqüentemente, a ser ovacionados. Ridícula essa atitude né, gente. Fã que é fã tá sempre do lado do ídolo, nos bons e maus momentos. As pessoas esquecem que os jogadores são gente, acham que são bonequinhos chutando uma bola pra diversão alheia. Bem, não deixam de ser, mas o fato é que são de carne e osso, não de madeira ou de plástico como os de totó/pebolim.

Eu sei que muitos (homens, principalmente) vão reclamar e criticar o meu post, mas às vezes é preciso jogar algumas verdades na mesa e fazer as pessoas refletirem sobre elas, por mais duras que sejam. Não estou dizendo que tudo o que eu escrevi acima é verdade absoluta, até porque emiti algumas opiniões pessoais, mas também falei de fatos de que as pessoas não gostam de discutir, de ficar falando por qualquer que seja o motivo, de verdades mesmo. Futebol é pra ser diversão, não esse quadro horrível de competição doente, desenfreada e sem limites que vemos hoje.

O jogo de futebol move massas, isso é inegável. E como move! Também incentiva o espírito de equipe e ajuda a desenvolvê-lo. Então as pessoas deveriam se utilizar destes aprendizados, botar a mão na consciência e se tocar de como estão manifestando os ideais do futebol de forma errônea, porque essa bola anda meio murcha...

------------------------------------------------------------

Mudando de assunto...
Eu sei que ninguém está nem aí para isso, mas quero compartilhar com vocês que amanhã começa a minha faculdade e estou super ansiosa! Finalmente vou virar uma universitária! :D
Para os curiosos, farei Comunicação Social - Publicidade e Propaganda. Adooro!
Então é só...
Beijos e até o próximo post!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...