domingo, 11 de maio de 2008

Em homenagem ao Dia das Mães



Falar da mãe, por um lado, é fácil, porque você a conhece desde antes de nascer, sabe praticamente tudo sobre ela, sabe o que falar sobre ela, pois os sentimentos não mudam tanto em relação a ela ao longo do tempo. Por outro, é difícil, visto que tudo o que se fala sobre ela já é clichê. Mas sendo clichê ou não, ser verdadeiro é o que vale.

O Dia das Mães, mesmo sendo uma merda data comercial, faz as pessoas pensarem mais em suas mães e na sua relação, e darem mais valor a elas. Comigo não poderia ser diferente. Eu penso em muito nisso, mas esse dia se torna realmente especial.

A minha mãe é a pessoa mais importante do mundo pra mim, e sempre será. Sempre fomos muito amigas e cúmplices; apoiamos uma à outra, trocamos conselhos, damos broncas quando necessário, aprendemos muito juntas, mutuamente. Temos problemas, sim, como em toda relação, mas eles não chegam nem perto de superar a nossa ótima relação de amor de mãe e filha. Em todas as nossas poucas brigas realmente ‘feias’, eu ficava com raiva dela num instante e no outro, já estávamos fazendo as pazes, conversando de novo numa boa. Eu não consigo ficar com raiva dela muito tempo, sempre passa logo. Não sei o que eu faria se não a tivesse na minha vida, nem se ela não fosse a minha mãe, do jeitinho que ela é, com todos os defeitos e todas as qualidades.
Eu não sou uma pessoa de muita sorte, mas só de ter a Ligia como minha mãe, já tenho muito mais sorte que muita gente por aí. Desde sempre, ela tanta fazer e dar o melhor pra mim, e se esforça até mais do que pode para isso. Já abriu mão de muitas coisas por minha causa. Sei que todas as vezes que ela errou comigo não foi por mal, foi com a melhor das intenções. Hoje em dia, consigo entender muitas atitudes dela que não entendia quando eu era mais nova, mesmo não sendo mãe também. Além de uma mãe maravilhosa, ela é uma profissional e uma pessoa maravilhosa – e linda, a mais paciente, correta e de bom coração que conheço, e ainda tem a mente aberta. Quem não gosta dela é porque tem sérios problemas. Muitas crianças e adolescentes tinham/têm vergonha de suas mães, mas eu não. Sempre me orgulhei muito dela.
Talvez eu nunca tenha falado isso tudo pra ela, mas eu sei que ela sabe e sente o quanto é importante pra mim.

Só me resta terminar este post com a frase mais dita nesse dia:

MÃE, TE AMO MUITO, MAIS QUE TUDO! ♥

8 comentários:

Igor Lessa disse...

Mas que texto bonito! Ela já viu (sua mãe)?! Tem que ver! =]

Raíssa, fiquei muitíssimo feliz com o seu comentário; De saber que você está curtindo o blog. Quero que volte sempre e eu, por mim, venho sempre que tiver coisa nova! =]

Vamos nos linkar?!
Um beijo!


Olhando Pra Grama - Crônicas de um ansioso

Solitude disse...

claro que pode, vou te linkar também.
texto bom o seu também :D
e obrigado pelos elogios
bjos =*

Letícia Bersot disse...

essa de bóia é voce? que fofinha! xD

ai, também acho que dia das mães é uma data comercial, mas minha mae fico tao triste que eu nem dei presente pra ela!
:///

Te linkei também ok?
Boa sorte com o blog!
Beijos

Nathália disse...

Ah, que fofura!
Rs

Embora todo mundo diga que "dia das mães é todo dia", é nisso que acredito. Não me sinto confortável com a idéia de demonstração de amor com data marcada.

Beijo!

Lays disse...

Seu blog é muito legal.
Muito bom, esse texto sobre sua Mãe.

=)

Lays disse...

Claro!
Bjs

Lays disse...

http://sentimentosfragmentados.blogspot.com/

Janete Andrade disse...

mãe é TUDO! (L)

;***

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...