sexta-feira, 1 de abril de 2011

A relatividade da vida


Tudo na vida é relativo. Absolutamente tudo. Não existe verdade absoluta, embora muitas vezes achemos que exista. Nada está totalmente sozinho, tudo tem relação com alguma coisa. Precisamos relativizar tudo na vida, pois somos relativos a muitas coisas, pessoas e situações; e muitas coisas, pessoas e situações são relacionados a nós. Complicado? Pois é.

A meu ver, as coisas mais relativas que existem são gosto e opinião. Nesses quesitos, não há sequer chance de existir uma verdade absoluta ou uma unanimidade. Sempre há um grupo de pessoas, mesmo que pequeno, que discordará da maioria. Eu, por exemplo, não suporto queijo desde me entendo por gente. Sempre que afirmo isso, alguém fala “mas como alguém não gosta de queijo?”, e eu respondo ”mas como alguém consegue GOSTAR de queijo?”. O oposto acontece quando alguém me diz que não gosta de camarão: eu falo “como você consegue não comer camarão?” e a pessoa responde ”como você pode comer de camarão?”. Para mim, pessoas que não comem camarão têm sérios probleminhas, porque camarão é vida! Do mesmo modo, a maioria das pessoas acha que eu tenho probleminha porque não como queijo, assim como eu penso ser uma das únicas pessoas normais no mundo por não comer essa coisa infecta que é o queijo. Se o maldito que inventou essa coisa suja, fétida e gosmenta já não estivesse morto, eu mesma o teria matado. Nos últimos meses, tenho descoberto mais pessoas que não gostam e/ou que não podem comer queijo. Não me sinto mais tão sozinha *drama mode: on*. Podemos, também, não gostar de algo e passar a gostar, ou o oposto. Eu odiava strogonoff quando era criança, experimentei de novo com 14 anos na casa de uma amiga e passei a adorar. Tomava leite com Matte quando era criança e hoje em dia não entendo como eu bebia essa mistura. Nossos gostos mudam ao longo da vida, assim como nossas opiniões.


Opiniões são formadas a partir de uma teia de relações no cérebro durante a vida. Vemos, ouvimos, refletimos, sentimos, aprendemos e vivemos muitas coisas enquanto estamos vivos e lúcidos. É o cruzamento o conjunto de relações que fazemos entre tudo isso que forma nossas opiniões. Uma pessoa pode ter uma opinião diferente da outra porque vivenciou uma situação que a fez pensar de outro modo ou porque foi influenciada a pensar de tal maneira. Além disso, sofremos diversos estímulos diferentes durante a vida que nos fazem mudar de opinião. Deixamo-nos influenciar por aquilo que queremos, fazemos nossas escolhas na vida. Tudo são escolhas; e sempre há uma escolha.  E isso forma uma enorme relatividade dentro de nós mesmos e no mundo à nossa volta.

Gostar de pessoas também é algo muito relativo. Seu melhor amigo pode virar seu inimigo, mas seu maior inimigo jamais poderá ser seu amigo, pelo menos na minha opinião. Se eu não vou com a cara da pessoa, eu jamais serei amiga dela; se eu não gostar dela, então... Se a pessoa for implicante, grosseira e mal educada comigo mesmo sem nunca ter nem me falado “bom dia”, como já aconteceu algumas vezes, eu pego mais implicância ainda com ela, aí mesmo que nunca seremos amigas, muito pelo contrário. De gente babaca e traiçoeira, quero distância de quilômetros. Penso que devemos manter a educação no cotidiano de trabalho e estudo. Não precisamos gostar de todos os nossos colegas, mas o respeito e a educação devem estar presentes no ambiente de trabalho/estudo. OK, fugi um pouco do tema, mas precisava escrever sobre isso, porque isso me revolta.


Amigos são coisas muito relativas. Muitas vezes não entendo como meus amigos podem gostar e ser amigos de certas pessoas. Não vou com a cara de algumas e muitas sacaneiam meus amigos constantemente, dando provas de amizade conveniente e falsa. Eles continuam gostando dessas pessoas e às vezes consideram essas pessoas mais do que a mim. Não entendo e fico chateada, óbvio. Do mesmo modo, acontece de amigos meus não se gostarem, mas eu não considero meus amigos injustamente, como alguns fazem. Enfim...

Hipocrisia. Tá aí uma coisa bem relativa também. Já falei aqui que todos somos hipócritas, sem exceção; e realmente o somos. Porém, sempre achamos que o outro é mais hipócrita que nós e sempre tentamos encobrir ou, ao menos, minimizar nossas hipocrisias. Isso se tornou tão natural e corriqueiro que muitas vezes nem percebemos. E isso é mais hipócrita ainda! Tento me policiar quanto a isso, mas não tem jeito, às vezes escapa ao meu radar. Afinal, o mundo é movido à hipocrisia.

Por mais que essa relatividade presente em nossas vidas seja complicada, não vivemos sem ela. Se tudo fosse correto e igual, não teria a mesma graça, não é mesmo?

12 comentários:

Becky disse...

Hi!
In case you're interested, I've added another way to have more entries for my MAC contest:
http://becksmakeupcorner.blogspot.com/2011/03/first-anniversary.html

lpzinho disse...

Opa...e vc postou isso no dia primeiro de abril, porém... pelo que eu te conheço não há mentira alguma nas tuas letrinhas!
Post mais do que perfeito, amiga-amor querida ehhehe sério, não há mto o que comentar depois de tanta argumentação bem feita.
Adoro o modo como vc "funciona", ou melhor este teu jeito de ser e pensar. Queijo, camarão... andei pensando outro dia na infinidade de pessoas que conheci na vida. Nas faculdades, nos cursos, escola e trabalho. E me peguei indagando ao cosmo, por onde andam todos? Alguns, tempos atrás revi e encontrei no Orkut(qdo aquilo ainda era menos ruim). Mas a gde maioria vai sumindo ao longo da vida. Talvez como quem muda o gosto e deixa de saborear camarão pra se apaixonar por queijo e vice e versa as pessoas simplesmente sigam rumos diferentes porém, esta coisa de inimigo virar amigo eu tb acho complicado de ocorrer... eu sei lá, é duro acreditar que teu algoz ou inimigo possa estar do seu lado sem pisar na bola!!
Bom... amei o post, simplesmente demais pra variar!!! De arrepiar! Te amo amiga!!

Galera da Esbórnia disse...

É verdade. Na vida é tudo sempre relativo. Sempre temos que fazer escolhas e a partir delas trilhar nosso caminho, sempre acompanhado de uma nova escolha. Se não existisse isso, seria tudo igual, todos teriam as mesmas esperiências, e na verdade, acredito que não aprenderiam nada. A subjetividade não iria aflorar. Por mais que a vida seja assim, é bom poder fazer nossas escolhas, e trilhar nosso caminho, passando por todas as fases, seja do preconceito, das máscaras, enfim, é só a partir disso que nos constituimos como ser humano e agregamos mais experiências!
Ótimo post! Parabéns!

Emíliana disse...

Tudo na vida é relativo e a verdade que existe é somente a sua.A dos outros vc precisa,saber respeitar mesmo quando não a aceite e não a compreenda.
No seu rastro,boa semana,bjk

Emíliana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andréia B. Borba disse...

Olá.
Primeira visita e gostei mto do blog e desse post em especial...

Concordo com você... E o relativismo a que estamos sujeitos é infinito... E que bom que seja assim.

Já dizia Nietzsche que o que existe são as interpretações dos fatos...
Além disso, cantava o bom e velho Raul: "Eu prefiro ser, essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo..."

Bjs e estarei sempre por aqui! Déia

Carolina Nascimento disse...

vc ainda existe pessoa ? rs
foi um espanto pra mim, admito.

tudo bem ? =)

Carolina Nascimento disse...

puuuuuuuutz, leite com Matte foi forte ein ! hahahaha

concordo com a parte dos gostos e tal, mas nao se iluda com as pessoas. o nosso cerebro eh capaz de criar e recriar emoções e sentimentos numa velocidade mais rapida que o beija-flor bate as asas. seu inimigo nao precisa ser seu inimigo se vc assim quiser, e nao acho que devemos nos afastar das pessoas, independente de quem seja. Acho que o convivio com pessoas que nao gostamos eh construtivo tambem, exercita a paciência. Nosso cerebro é um mágico desengonçado, ele consegue transformar o que quiser ! mas nos não sabemos comanda-lo direito. No dia que vc entender o que eu digo e pensar como eu penso, vc nao será mais vc, será eu. Mas nesse dia vc provará de uma experiência única, que é ser dona de si mesma, comandar seu próprio cerebro, sentir os sentimentos que quiser, e ser feliz com mais facilidade. Tenta. É bonzão ;)

Gostei de te reencontrar por aqui =)

Haylla disse...

Nháá que TUDO flor ♥
Cheirinho bem grande e tenha um dia abençoado'

Me,myself & I! disse...

Olha,se gostas de participar assim em passatempos há um blog de cinema espectacular que tem sempre montes deles!
O Close Up!
Costumam dar bilhetes para antestreias,dvd's,cds,livros e até maquilhagem!!
:)
Fica aqui o endereço:
http://close-up-blog.blogspot.com/

Mandy Marques disse...

Eu sou alérgica a camarão ><
comi e tive que ser entubada! kkkk
Mais tbm não gosto muito de queijo, depende do momento e no meio de que que ele esta, talvez eu coma, talvez não... hahaha
Teoria da Relatividade: tudo é relativo, até a relatividade é relativa. Hausdihsdiuad³

E não teria a mesma graça, mais seria tão mais fácil. hahaha

Beijo :*

Taíssa L. - Garotas Puro Luxo disse...

Já tá participando do novo sorteio do blog ? Concorra á um brinco de lacinho dourado liiindo aqui:

http://garotaspuroluxo.blogspot.com/2011/04/sorteio-de-aniversario-do-garotas-puro.html

Beeijos,

Taíssa.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...