quinta-feira, 20 de junho de 2013

Movies You Must Watch #10

Oi, gente!

Faz muito tempo que não publico um Movies You Must Watch aqui no blog, já estava com saudades! Os filmes do post de hoje são de nuestros hermanos argentinos. ¡Sí! 


Gosto muito do cinema argentino e quero compartilhar com vocês alguns filmes excelentes que talvez muitas pessoas não se interessaram em assistir por serem argentinos. Coincidentemente, dois dos filmes têm o ator Ricardo Darín como protagonista. Para quem não o conhece, ele é um excelente ator argentino que protagoniza muitos filmes por lá e alguns poucos também pela Espanha. Espero que gostem do post e que fiquem com vontade de assistir aos filmes!

·    O Segredo dos Seus Olhos (El Secreto de Sus Ojos)
Direção: Juan José Campanella
Origem: Argentina
Ano: 2010


Sinopse: Após trabalhar a vida toda num Tribunal Penal, Benjamín Espósito se aposenta. Seu tempo livre o permite realizar um sonho longamente postergado: escrever um romance baseado num acontecimento que vivera anos antes. Em 1974, foi encarregado de investigar um violento assassinato. A Argentina entrava num ciclo de extrema violência política e a investigação colocou em risco sua vida. Ao escavar velhos traumas, Benjamín confronta o intenso romance que teve com sua antiga chefe, assim como decisões e equívocos passados. Com o tempo, as memórias terminam por transformar novamente sua vida.

Esse filme é tão bom que ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2010 e está na minha lista de favoritos. Suas bases são o amor platônico e suas consequências, o poder da paixão (num sentindo muito mais amplo da palavra) na vida das pessoas, os segredos que os olhos escondem e como é possível conversar e entender muitas coisas através deles, sem que seja preciso falar. Além disso, levanta os temas amizade, Justiça, impunidade e corrupção.


Ricardo Darín, como sempre, desenvolve muito bem o seu personagem e nos faz sofrer e vibrar junto com o Espósito. Soledad Villamil interpreta muito bem o seu papel de Irene, chefe e amor platônico – correspondido - de Espósito. A relação dos dois está sempre no ar, com Irene esperando uma iniciativa por parte de Espósito, que não tem coragem de se declarar para ela, já que ela é noiva de um engenheiro rico e é de uma família da alta sociedade, além de ser sua chefe. A todo momento, os olhos dos dois pedem uma coisa, mas a boca de ambos não consegue falar. Mesmo quando Irene tenta fazer com que Espósito tome uma iniciativa, algo acontece e impede que eles fiquem juntos, fazendo com que só se reencontrem 25 anos depois.

Outro personagem muito importante para o filme é Sandoval, subordinado e melhor amigo de Espósito. É ele que ajuda Espósito a desvendar o mistério que paira sobre o “caso Morales” e está sempre ao seu lado. Sandoval é alcoólatra e Espósito paga suas contas e vai resgatá-lo do bar para lavá-lo de volta pra casa; isso quando sua esposa o aceita lá. É uma relação de amizade ao mesmo tempo bela e divertida.

Todos os episódios acerca do crime do “Caso Morales” nos deixam querendo saber sempre o que vem depois; o filme não é monótono em momento algum. A aura de mistério e suspense está presente em quase todo o filme. As cenas mais geniais são a do interrogatório do responsável pelo crime e a cena final, totalmente imprevisível. Juan José Campanella fez mais um trabalho maravilhoso junto com Ricardo Darín! Filme mais do que recomendado!

·    Um Conto Chinês (Um Cuento Chino)
Direção: Sebastián Borensztein
Origem: Argentina
Ano: 2011


Sinopse: A história de um rabugento dono de uma casa de ferragens que, inesperadamente, se depara com o cenário de ajudar um chinês que foi jogado de um carro e não fala uma palavra em espanhol.

Mais um filme com Ricardo Darín como protagonista. Dessa vez, ele é o rabugento e solitário Roberto. Reclama de tudo, fala muito palavrão e está sempre de mal humor, mas tem um coração grande. Ele, que vivia sozinho há anos, abrigou um chinês na sua casa sem conseguir se comunicar verbalmente com ele, pois ele não entendia mandarim e o chinês não entendia espanhol. Tentou encontrar alguém para traduzir, rodou a China Town argentina, e nada. Até que pediu comida chinesa e o entregador sabia um pouco de mandarim. Começou a pedir comida chinesa todos os dias.


Em meio a toda essa situação, Mari, que é apaixonada por Roberto, se aproxima do chinês e, consequentemente, de Roberto. Está sempre pronta a ajudar os dois. Era tudo o que Roberto precisava e não sabia – nem admitia.

O filme é muito divertido, dá pra rir bastante. Não tem nada de extraordinário, mas é uma história interessante e conseguimos nos identificar de alguma forma com os personagens. Vale a pena assistir!

·    Infância Clandestina (Infancia Clandestina)
Direção: Benjamín Ávila
Origem: Argentina/Brasil/Espanha
Ano: 2012


Sinopse: Depois de anos no exílio, os pais do pequeno Juan conseguem voltar ao país em 1979 usando documentos falsificados. Seus pais eram membros dos Montoneros, organização que lutou contra a junta militar e, por isso, seus membros foram caçados, presos ou mandados para o exílio. O disfarce da família passa a correr perigo quando o garoto vai para a escola, onde faz amigos e ganha uma admiradora.

Taí outro filme que entrou para a minha lista de favoritos. Gosto muito de filmes sobre a Ditadura este não fica para trás. Se para um adulto é difícil ser exilado e viver se escondendo, imaginem para uma criança, que não entende tão bem toda aquela situação. Teo Gutiérrez Romero conseguiu passar bastante realismo em seu primeiro personagem no cinema, como Juan.

Juan tornou-se Ernesto e passou a frequentar uma nova escola, onde não conhecia ninguém. Fez amizades com alguns meninos e apaixonou-se pela irmã de um deles. Em meio a todo o caos que vivia com sua família, tendo que se esconder todos os dias, deu seu primeiro beijo, teve sua priemira namorada e viveu seu primeiro amor. Fofo, fofo! Enquanto isso, seus pais lideravam um movimento dentro de sua casa, juntamente com seu tio, de quem era muito próximo. Juan aprendeu a atirar e ficou responsável por sua irmã pequena, caso algo grave acontecesse a seus pais, no esconderijo da casa.


Sua avó vai visitá-los, vendada, para não saber onde estão localizados e não correr perigo também. Tenta convencer sua filha, mãe de Juan, a levar seus netos com ela para que não corram mais riscos, porém ela, radical, se recusa a entregar seus filhos. O final não é feliz, mas é bem realista.

Benjamín Ávila foi muito bem sucedido em seu primeiro filme, tanto como diretor, quanto como produtor e roteirista. A história é forte e não tem como não se identificar e não se emocionar em algum momento. Outro ponto alto do filme é a trilha sonora, que é linda. Filme recomendadíssimo!

E vocês, já viram algum desses filmes? O que acharam?


Beijos!

Um comentário:

Irene Moreira disse...

Olá querida!

Tudo Bem?

Parabéns pelo lindo Blog e desejo muito sucesso pra vc!

Gostaria de participar de um Book Tour? Veja os detalhes neste post e aproveita para conhecer meu cantinho também:

http://saletadeleitura.blogspot.com.br/2013/06/book-tour-so-gosto-de-cara-errado.html

Beijos

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...