segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Cidade de Deus - 10 Anos Depois

Cidade de Deus, filme de Fernando Meirelles e Katia Lund, completou 10 anos de existência em 2012. O filme causou grande repercussão mundial ao estrear no Festival de Cannes em 2002, recebeu diversos prêmios e indicações em todo o mundo (incluindo quatro ao concorrido Oscar) e se tornou um dos filmes brasileiros mais lembrados até hoje. Mas e quanto aos atores que participaram deste longa? Como estão suas vidas após o grande sucesso instantâneo que tiveram 10 anos atrás? Qual o impacto que Cidade de Deus causou em suas vidas? É o que mostra o documentário Cidade de Deus - 10 anos depois.

Em apenas 69 minutos, trechos marcantes de Cidade de Deus mesclam-se a entrevistas com os atores, cenas de seu cotidiano e alguns trabalhos no cinema e televisão de forma sincronizada e coerente. Como no filme original, o documentário se inicia com uma visão 360º da favela e com a narração de Alexandre Rodrigues, o Buscapé, personagem principal. Entre os assuntos abordados, estão o cachê que cada um recebeu na época do filme, o que fizeram com ele e o que ocorreu quando o dinheiro chegou ao fim, o que esperavam quando aceitaram participar das filmagens de Cidade de Deus, como a participação no filme mudou suas vidas e os planos para o futuro.


Assim como no documentário A Alma da Gente (de Helena Solberg e David Meyer), que também retrata a vida de seus entrevistados no intervalo de 10 anos, somente um pequeno número deles continuou trabalhando no mundo da arte; com dança, neste caso. Em Cidade de Deus - 10 anos depois, apenas poucos atores tiveram a oportunidade de continuar com a carreira, inclusive internacional, como é o caso de Alice Braga e Seu Jorge, que também possui uma carreira musical de sucesso. Outros – provavelmente a maioria - voltaram para o anonimato, atuando em diferentes profissões ou entrando de alguma forma para o mundo do crime. O mesmo aconteceu com os personagens de A Alma da Gente. Como citou a mãe de um dos atores, que se tornou traficante e está desaparecido até o momento: “Eu disse pra ele não confundir a vida do filme com a vida real”.

Além disso, ambas as películas levantam problemas de caráter social e incitam discussões pertinentes, cada um à sua maneira. Enquanto Helena Solberg e David Meyer tratam da mudança positiva que a arte pode causar na vida de crianças e adolescentes de periferia em A Alma da Gente, Cavi Borges e Luciano Vidigal evidenciam a questão do contraste e abismo cultural, ainda existentes nos dias atuais, e o papel do negro na sociedade e no mercado artístico em Cidade de Deus - 10 anos depois.


À frente do longa, Cavi Borges conseguiu captar verdadeiramente os sentimentos e opiniões de seus entrevistados, sem censura. Por outro lado, embora tenha levantado temas importantes, não se aprofundou em nenhum. Houve boa intenção em mostrar um grande número de atores, a fim de sanar a curiosidade do público, e assuntos distintos em pouco espaço de tempo, porém a ausência de Fernando Meirelles e Katia Lund é fortemente sentida, assim como a exploração do enorme significado de City of God para o cinema brasileiro. Apesar disso, é um documentário competente e interessante, que atinge seu principal objetivo –mostrar a mudança causada na vida dos atores uma década após o lançamento do filme.

*Este texto também foi publicado aqui no Almanaque Virtual.


Festival do Rio 2013 – Première Brasil: Competição de Documentários - longas

Cidade de Deus - 10 Anos Depois

Brasil - 2013. 69 minutos.

Direção: Cavi Borges e Luciano Vidigal

Com: Alexandre Rodrigues, Leandro Firmino da Hora, Roberta Rodrigues, Seu Jorge, Alice Braga, Douglas Silva, Thiago Martins e Jonathan Haagensen


Nota: 4

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...