quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Pais

O que fazer quando se tem tudo sob controle e da noite para o dia esse controle simplesmente desaparece? É o que o casal de Pais precisa descobrir para que a harmonia de sua casa e seu casamento seja restaurada. Christine e Konrad são um típico casal que vive em Berlim e tem duas lindas filhas, Käthe e Emma. Ela é uma médica anestesista bem sucedida, que trabalha numa clínica e está prestes a ser promovida, e ele é um diretor de teatro fora da ativa que cuida da casa. De repente, Konrad recebe uma proposta para dirigir uma peça e eles decidem contratar uma babá argentina. Ao invés de resolver o problema, acabam ganhando outro: a babá, Isabel, está grávida.


O retrato da família feliz cai por água abaixo com a chegada de Isabel, que manifesta o desejo de abortar o bebê para permanecer na Alemanha, mas ainda tem uma ponta de dúvida, e passa mal constantemente. Para piorar, o hamster Specky morreu e Emma não para de pedir outro. Logo começa o impasse família-carreira entre Konrad e Christine, que nunca tinham passado antes por situação similar. Com isso, o diretor Robert Thalheim levanta a seguinte questão: como conciliar duas carreiras com filhos quando o parceiro que antes não trabalhava resolve fazê-lo? Normalmente, esse “papel” é da mulher, mas Thalheim quebra este paradigma social e inverte os papeis, deixando a história mais interessante.

Com sua nova peça, Konrad precisa se dedicar mais ao trabalho e pede colaboração da esposa, que não dá muita importância e só pensa em sua carreira. Até que o marido cansa e passa a dormir no teatro, deixando toda a responsabilidade de cuidar das crianças e da babá para Christine, que fica sobrecarregada. Por trabalhar muito e ser uma mãe ausente, ela nem sabe por onde começar e encontra grande resistência por parte de suas filhas, principalmente da mais velha, que já tem 10 anos, é mais madura para idade e consegue entender melhor a situação, enfrentando-a constantemente. Agora o casamento, que antes era motivo de inveja de mães de amigas de escola de suas filhas, fica bastante arranhado.



Christine e Konrad encontram-se em uma situação parecida com a de Tom (Steve Martin) e Kate Baker (Bonnie Hunt) em Doze é Demais (do diretor Shawn Levy), porém em menor proporção, já que doze filhos dão muito mais trabalho que apenas dois. Kate sempre viveu para o lar, os filhos e o marido, até que Kate recebe a proposta para publicar o seu livro e fazer uma turnê de lançamento, deixando Tom sozinho para cuidar da numerosa prole. É claro que resultou em muita confusão. Apesar de Pais ser um drama com uma pitada de comédia e Doze é Demais ser uma típica comédia americana, ambos os filmes têm o mesmo objetivo: mostrar o funcionamento interno de uma família em um momento de crise.

Além da excelente direção de Robert Thalheim, a interpretação de Charly Hübner e Christiane Paul como o casal principal é o ponto alto do filme. Pais é uma crônica familiar da sociedade moderna, com todos os benefícios e os problemas que ela carrega. Realista e atual, como deve ser.

*Este texto também foi publicado aqui no Almanaque Virtual.


Festival do Rio 2013 – Foco Alemanha

Pais (Eltern)

Alemanha - 2012. 100 minutos.

Direção: Robert Thalheim

Com: Clara Lago, Jannis Niewöhner, Charly Hübner, Àlex Brendemühl, Maren Eggert, Paraschiva Dragus e Christiane Paul.


Nota: 4

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...