quinta-feira, 13 de março de 2014

Michael Kohlhaas

É século XVI, mas a situação é bem parecida com a do século XXI. Michael Kohlhaas (o excelente Mads Mikkelsen) é um vendedor de cavalos que vive tranquilamente na região de Cévennes com sua família. Ao ser enganado por um barão e sofrer uma injustiça com graves consequências, Kohlhaas busca recuperar a sua honra de todas as formas, inclusive iniciando uma guerra. Baseado na obra homônima de Heinrich Von Kleist, Michael Kohlhaas nos leva a refletir sobre as questões da justiça e os limites para sua busca, numa discussão bastante pertinente para os dias atuais.


Como em A Caça (Thomas Vinterberg, 2012), o personagem de Mads Mikkelsen é vítima de uma mentira que modifica por completo sua vida e de sua família, que amarga até o final os efeitos da injustiça contra o seu patriarca e sua sede pela correção de sua dignidade. Enquanto na aclamada película de Vinterberg toda a confusão foi causada por uma criança, no longa de Arnaud des Pallières tudo aconteceu graças à desonestidade de um superior. Uma outra referência ao abuso de poder ocorre três séculos antes, no filme Coração Valente (1995) quando o escocês William Wallace, personagem do também diretor Mel Gibson, não se curva diante de um direito ameaçado e também tem sua mulher assassinada, fazendo com que ele corra atrás de justiça não só para si, mas também para a liberdade de todo o seu país. Afinal, até onde a busca pela justiça é válida? O que é justiça? Um conceito subjetivo que varia de acordo com o benefício que se pode obter através da mesma?


A direção competente, porém lenta, de Pallières, juntamente com a belíssima fotografia, obriga o público a prestar atenção aos detalhes, principalmente às expressões e aos olhares, que nos fazem compreender cada cena mesmo quando há ausência de diálogos. Impossível não se sentir tocado pelo drama de Michael Kohlhaas. Embora o roteiro, co-escrito por Pallières e Christelle Berthevas, não seja surpreendente e carecer de um pouco de ação, possui coerência do início ao fim e levanta questões que, em tempos de crise e passeatas por todo o país, são de necessário debate para que, talvez, haja mudanças no futuro.

*Este texto também foi publicado aqui no Almanaque Virtual.


Michael Kohlhaas (Idem)

França / Alemanha - 2013. 122 minutos.

Direção: Arnaud des Pallières

Com: Mads Mikkelsen, Melusine Mayance, Delphine Chuillot, David Kross e Bruno Ganz.


Nota: 3

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...