sábado, 26 de julho de 2014

Bistrô Romantique

“Bistrô Romantique”, primeiro longa-metragem do diretor de séries Joël Vanhoebrouck, é uma comédia romântica com uma dose de drama e que, ao contrário do que sugere o título, não é francês, e sim, belga, como Vanhoebrouck. O filme se passa no restaurante de Pascaline (Sara de Roo) herdado de seu pai, onde trabalha com o irmão e chef Angelo (Axel Daeseleire). Aproveitando-se do Dia dos Namorados, os irmãos resolvem fazer uma noite especial só para casais com um menu romântico afrodisíaco exclusivo. O que Pascaline não imaginava é que um antigo namorado apareceria mais de 20 anos depois, justamente nesta noite, com uma inusitada proposta, que faz com que problemas familiares venham à tona. Paralelamente ao drama pessoal da proprietária, clientes que ocupam o salão do Bistrô Romantique vivem suas histórias de amor (e desamor), não menos importantes que a de Pascaline, em cinco capítulos nomeados conforme os pratos do menu.


Na data comemorativa, cada cliente se encontra numa situação romântica distinta, em um estágio de relacionamento, e vemos a evolução de todos ao longo dos atos. Walter (Mathijs F. Scheepers) é um esquizofrênico solitário à procura de um amor que espera uma mulher que conheceu pela internet para jantar. Paul (Filip Peeters, de “Irmã Sorriso”) e Roos (Barbara Sarafian, de “Bullhead”, candidato da Bélgica ao Oscar 2012 de Melhor Filme Estrangeiro) são um casal cuja chama da paixão já se apagou totalmente ao longo dos mais de 10 anos de casamento. Mia (Ruth Becquart) é uma mulher de meia idade que não consegue se recuperar do fim de seu casamento mesmo após alguns anos e é consolada pelo garçom Lesley (Wouter Hendrickx). Há também outros casais coadjuvantes, que não possuem suas historias desenvolvidas e servem apenas como uma pitada de humor a mais em certos momentos.


Apesar dos clichês do gênero e do final previsível, o filme de estreia de Vanhoebrouck, que se assemelha a “O Jantar” de Ettore Scola, possui personagens peculiares próximos do real, boas atuações e uma perfeita atmosfera romântica em seu único cenário. Assim como em "Os Sabores do Palácio", "Ratatouille" e no brasileiro "Estômago", o espectador é fisgado pela barriga e por outros sentidos em cenas com belos pratos de dar água na boca, porém conquistado pelo bom desenvolvimento do roteiro, a cargo de Jean-Claude Van Rijckeghem e Pat van Beirs em “Bistrô Romantique”. Poderia ser melhor, mas não deixa de ser um entretenimento agradável. Prepare-se: você vai sair com fome do cinema.

*Este texto também foi publicado aqui no Almanaque Virtual.


Bistrô Romantique (Brasserie Romantiek)

Bélgica - 2012. 102 minutos.

Direção: Joël Vanhoebrouck

Com: Sara de Roo, Koen De Bouw, Filip Peeters, Barbara Sarafian e Axel Daeseleire.


Nota: 3

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...